Rodolfo Buhrer/Reuters
Rodolfo Buhrer/Reuters

Polícia Militar isola sede da PF em Curitiba, onde Lula passou 1ª noite

Grupo de manifestantes permaneceu no local na madrugada deste domingo, 8; ex-presidente chegou por volta das 22h30 deste sábado

Aline Bronzati e Karla Spotorno, O Estado de S.Paulo

08 Abril 2018 | 09h00

CURITIBA - A Polícia Militar isolou neste domingo a área da Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba, onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado pela Lava Jato, passou a primeira noite de prisão. Há um perímetro de 100 metros de distância do portão do prédio da PF.

A segurança também foi reforçada: o cordão de isolamento feito pela PM do Paraná recebeu mais agentes da PM. Cerca de dez viaturas da corporação paranaense são vistas dentro do estacionamento da PF nesta manhã, como mostraram imagens da 'GloboNews' e da 'BandNews' há pouco.

+++AO VIVO: Lula preso

Na noite deste sábado, 7, manifestantes contrários e favoráveis a Lula se exaltaram na chegada do petista por volta das 22h30. Para contê-los, a polícia usou bombas de efeito moral e fez um cordão de isolamento na área que já dividia os dois grupos.

Um grupo de manifestantes passou a noite no local, mas ficou na parte externa do isolamento feito neste domingo pela Polícia Militar. O ex-presidente começa a cumprir a pena de 12 anos e um mês de prisão em sala especial na carceragem da PF.

+++Coluna do Estadão: Petistas aconselharam Lula a pedir asilo à Rússia

+++'Sem Lula, esquerda não tem candidato', diz historiador

+++'Prendemos Lula, votamos nele e nos decepcionamos'

Antes de chegar a Curitiba, Lula passou o dia no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, onde fez o último discurso antes de se entregar. De lá foi levado para o comboio da PF, passou no Instituto Médico Legal (IML) e e no Aeroporto de Congonhas, na capital paulista, para ser levado ao Paraná. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.