Petistas aconselharam Lula a pedir asilo à Rússia

Petistas aconselharam Lula a pedir asilo à Rússia

Coluna do Estadão

08 Abril 2018 | 05h30

O ex-presidente Lula e o presidente Wladimin Putin. Reprodução do Facebook do deputado Paulo Pimenta.

O ex-presidente Lula foi aconselhado por integrantes da cúpula do PT a pedir asilo a uma embaixada para escapar da prisão. A sugestão foi feita no mesmo dia em que o STF negou pedido de HC. Petistas tentaram convencê-lo a se refugiar em Brasília nos prédios das embaixadas da Rússia ou de Cuba, países com quem mantêm boa relação. De lá, poderia continuar dando entrevistas durante toda sua campanha ao Planalto. Lula rechaçou a ideia e se comparou a Nelson Mandela, preso por 27 anos em regime fechado por lutar contra o apartheid.

Bem diferente. Lula foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. Ele é acusado de receber da OAS um triplex no Guarujá.

Lula lá? Mesmo preso, Lula pode registrar a candidatura ao Planalto, segundo dois advogados eleitorais e um ex-ministro do TSE ouvidos pela Coluna. Um especialista lembra que até um preso por suspeita de pistolagem foi eleito vereador na Paraíba em 2016.

Há controvérsias. Um ministro do TSE afirma, porém, que Lula não teria nem como pedir o registro porque precisará apresentar certidões criminais. A falta do documento já seria o impeditivo para ele conseguir entrar na disputa.

Só cena. Embora tenha transferido o domicílio eleitoral para Minas, petistas dizem que as chances de Dilma Rousseff disputar a eleição para o Senado pelo Estado é a mesma dos ministros Luís Roberto Barroso e Gilmar Mendes virarem amigos de infância.

Me recuso. Dilma descartou disputar o Senado pelo Piauí por se recusar a fazer chapa com Ciro Nogueira (PP), que votou a favor do impeachment dela. É impublicável o que ela respondeu a quem sugeriu a aliança no Estado, onde PP e PT farão uma dobradinha.

Portas abertas. A casa do ex-ANTT Jorge Bastos em Brasília virou o novo point da alta cúpula da política. Recentemente, passaram por lá Rodrigo Maia e os novos amigos Moreira Franco e Renan Calheiros. Os dois tentaram emplacar Bastos num ministério.

SINAIS PARTICULARES. Moreira Franco, ministro da Secretaria-Geral da Presidência; por Kleber Sales

Tô ocupado. Testemunha de defesa do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) na ação penal por injúria e apologia ao crime de estupro, o deputado Pastor Eurico avisou à Justiça que só tem disponibilidade para depor após 25 de agosto. Com isso, a oitiva de Bolsonaro ficará para agosto.

Passa depois. Pastor Eurico justificou compromissos com as eleições e não descarta adiar de novo para depois do pleito. O adiamento interessa a Bolsonaro que, se condenado, pode ter o registro da candidatura questionado no TSE.

CLICK. O Instagram oficial do governo de São Paulo destacou o número de campanha do governador e pré-candidato ao Palácio dos Bandeirantes, Márcio França.

Não pode. Ministros do TSE afirmaram à Coluna que a publicação é vedada.

Com a palavra. O governo diz que “trata-se de um falha de exclusiva responsabilidade da empresa contratada para fazer a gestão das redes sociais e que a empresa sofrerá as sanções administrativas cabíveis” e informou que apagou o @marciofranca40.

A SEMANA

Segunda-feira, 9

O presidente Michel Temer dá posse ao chefe do BNDES

Ex-ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira assume o comando do banco em cerimônia no Palácio do Planalto.

Quarta-feira, 11

STF julga os habeas corpus de Antonio Palocci e Paulo Maluf

Plenário analisa pedido de liberdade de ex-ministro e também a liminar que autorizou a domiciliar do deputado de SP

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E LEONEL ROCHA. COLABOROU RAFAEL MORAES MOURA

Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão