Macarrão, feijão e farinha para Cabral, Picciani, Garotinho, Melo, Albertassi…

Macarrão, feijão e farinha para Cabral, Picciani, Garotinho, Melo, Albertassi…

Caciques da política do Rio estão presos na cadeia pública José Frederico Marques em Benfica; preso nesta quarta-feira, 22, Anthony Garotinho será levado para o mesmo estabelecimento penal

Julia Affonso

22 Novembro 2017 | 13h34

Foto ilustrativa: Dabobabo/Free Images

Se chegar a tempo de almoçar, na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, nesta quarta-feira, 22, o ex-governador do Rio Anthony Garotinho (PR) poderá se servir de arroz ou macarrão, feijão, farinha, carne branca ou vermelha (carne, peixe, frango), legumes e salada. Terá direito a sobremesa e refresco. É o cardápio da cadeia que o espera.

Garotinho foi preso pela Polícia Federal logo no início da manhã desta quarta-feira, 22. No fim da manhã, ele foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML). Segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), do Rio, o ex-governador será levado para a cadeia de Benfica, a mesma onde estão recolhidos velhos caciques da política fluminense.

OUTRAS DO BLOG: + PF aponta propina de R$ 2,6 milhões da JBS para Garotinho e Rosinha

Os nomeados de Segovia

Moro é vaiado em congresso de procuradores municipais

O prato do dia ao qual Garotinho terá direito é o mesmo a que também têm acesso quatro peemedebistas: o ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB), o presidente licenciado da Assembleia Legislativa do Rio, Jorge Picciani, e os deputados estaduais Paulo Melo e Edson Albertassi.

O menu do jantar repete o do almoço.

O café da manhã é frugal, como da maioria dos brasileiros em liberdade. Segundo a Secretaria, o ‘desjejum é composto por pão com manteiga e café com leite’.

“Já o lanche é um guaraná e pão com manteiga ou bolo”, informou a Secretaria.

Sérgio Cabral está preso desde novembro de 2016. Picciani, Melo e Albertassi chegaram a Benfica nesta terça-feira, 21.