A decisão que manda investigar Robinson por mais quatro crimes

A decisão que manda investigar Robinson por mais quatro crimes

Governador do Rio Grande do Norte, que já é denunciado por obstrução de Justiça, agora será alvo de inquérito por usura, peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro

Da Redação

14 Novembro 2017 | 08h00

Reprodução da decisão do ministro Raul Araújo.

Denunciado por obstrução de Justiça, o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD) será investigado por usura, peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro, no âmbito de supostos esquemas de desvios de salários de funcionários da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Norte à época em que ocupou a presidência da Casa. A decisão de abrir novo inquérito é do relator do caso no Superior Tribunal de Justiça, Raúl Araújo.

+ Ministro nega afastamento de Robinson Faria

O magistrado acolheu pedido da Procuradoria-Geral da República, e, não só instaurou novo inquérito, como mandou ouvir testemunhas – entre elas, funcionários da Assembleia.

OUTRAS DO BLOG: – Procuradoria acusa deputada da Bahia e mais nove por desvio de R$ 800 mil na Operação Águia de Haia
+ A decisão que mantém executivos no banco dos réus por Mariana
+ Missão é ampliar combate à corrupção, diz novo diretor escolhido por Segóvia
+ Fachin reduz fiança de investigados no caso do ‘bunker’ de R$ 51 milhões

“O pedido é um desdobramento da denominada Operação Anteros, executada em  cumprimento a medidas de busca e apreensão e prisões temporárias deferidas nestes autos, com  a finalidade de apurar o cometimento de obstrução da Justiça, mas, cujo material apreendido  teria revelado indícios de outras práticas criminosas”, narrou o ministro.

Mais conteúdo sobre:

Robinson FariaRobinson Faria