Magalhães Jr./Photo Press
Magalhães Jr./Photo Press

Witzel mantém nomes do governo Pezão em secretariado

Também ficou confirmada a extinção da Secretaria de Estado de Segurança, como ele já havia anunciado

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

13 Novembro 2018 | 17h29

RIO - O governador eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), escolheu para liderar as Polícias Civil e Militar dois nomes da linha de frente das corporações no governo Luiz Fernando Pezão (MDB): o delegado Marcus Vinícius Braga, atualmente diretor do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE), será o secretário da Polícia Civil; o coronel Rogério Figueiredo de Lacerda, hoje coordenador das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), será o secretário da Polícia Militar. Assim, fica confirmada a extinção da Secretaria de Estado de Segurança, como Witzel já havia anunciado.

O anúncio foi feito nesta terça-feira, 13. Witzel anunciou mais três secretários. A Secretaria de Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros continuarão com o coronel Roberto Robadey Jr, que desempenha as funções no governo Pezão. A Secretaria da Casa Civil será transformada em Secretaria de Estado de Governança; à frente, estará o atual coordenador-geral da transição, José Luís Cardoso Zamith.

A Secretaria do Trabalho e Renda passa a se chamar Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico e Geração de Emprego e Renda, e ficará com advogado Lucas Tristão. O controlador-geral do Estado será o delegado da Polícia Federal Bernardo Cunha Barbosa. O procurador-geral do Estado, o advogado Marcelo Lopes da Silva.

Ex-juiz federal, Witzel se elegeu apresentando-se como uma novidade na política, avesso a práticas viciadas e com tolerância zero com a corrupção e o crime organizado. Ele vem afirmando que suas escolhas para o secretariado são técnicas, sem se pautarem por critérios políticos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.