Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Vou continuar desenvolvendo trabalho técnico, diz novo ministro da Justiça

Substituto de Moro, André Mendonça usou as redes sociais para fazer primeiro pronunciamento público após nomeação

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2020 | 08h36

O novo ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, usou as redes sociais para se pronunciar pela primeira vez sobre a nova função. Mendonça agradeceu ao presidente da República, Jair Bolsonaro, pela indicação ao cargo e comprometeu-se a conduzir o ministério de forma técnica.

"Agradeço ao presidente Jair Bolsonaro por confiar a mim a missão de conduzir as políticas públicas de Justiça e Segurança do nosso país. Meu compromisso é continuar desenvolvendo o trabalho técnico que tem pautado minha vida. Conto  com o apoio do povo brasileiro! Que Deus nos abençoe!", escreveu Mendonça.

A nomeação do novo ministro foi publicada na manhã desta terça-feira, 28, no Diário Oficial da União. Além da nomeação de Mendonça, a portaria também indicava a nomeação de Alexandre Ramagem, ex-diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), para o comando da Polícia Federal.

O episódio envolvendo a nomeação de Ramagem foi o que motivou a mudança de cadeiras na cúpula do governo federal. A insistência do presidente em demitir seu antecessor, Maurício Valeixo, que ocupava o cargo de diretor-geral da PF até a última sexta-feira, 24, motivou o pedido de demissão do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

Como apenas a saída de Valeixo era esperada, o Planalto teve que se apressar na busca por um substituto para Moro. Antes de Mendonça, o nome de Jorge Oliveira, ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência e homem de confiança da família Bolsonaro, havia sido cotado para o cargo, no entanto, uma reunião entre o ex-chefe da AGU, Bolsonaro e o próprio Oliveira acabou definindo o nome do novo ministro.

Quem é André Mendonça?

Ex-advogado-geral da União, o reverendo André Mendonça tem 47 anos, quase 20 deles dedicados à advocacia pública. Indicado por Bolsonaro para chefiar a AGU em julho de 2019, Mendonça também é apontado como um dos possíveis indicados pelo presidente ao Supremo Tribunal Federal (STF), na vaga de "ministro terrivelmente evangélico".

Evangélico, mas de uma igreja nova e "mais progressista" que outras vertentes, o agora ministro da Justiça  foi apontado como "técnico idealista" por entrevistados ouvidos pelo Estado quando assumiu o comando da AGU, em julho de 2019. Leia aqui a matéria completa e conheça o perfil de André Mendonça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.