Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Reprodução/Twitter Kim Kataguiri
Reprodução/Twitter Kim Kataguiri

Sem esquerda, MBL e Vem Pra Rua anunciam ato contra Bolsonaro

‘Queremos fazer manifestações sem levantar a bandeira do Lula’, diz coordenador do MBL; data será divulgada na quinta

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

06 de julho de 2021 | 18h25
Atualizado 06 de julho de 2021 | 19h10

O Movimento Brasil Livre (MBL) e o Movimento Vem Pra Rua, os dois grupos que lideraram as manifestações pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) em 2015, decidiram organizar um ato em conjunto contra o presidente Jair Bolsonaro. A data será divulgada em uma entrevista coletiva nesta quinta-feira, 8, na Câmara dos Deputados.

“Ficou claro que não tem como unificar com a esquerda. Veja o que houve com os manifestantes do PSDB? Queremos fazer manifestações contra o Bolsonaro, mas sem levantar a bandeira do Lula”, disse ao Estadão/Broadcast o coordenador nacional do MBL, Renato Battista.

No último sábado, manifestantes do PSDB foram agredidos por integrantes do PCO durante a manifestação contra Bolsonaro na Avenida Paulista. 

Na semana passada, lideranças de direita, centro e esquerda protocolaram um superpedido de impeachment de Bolsonaro, mas não chegaram a um consenso sobre unificar as estratégias de mobilização. De acordo com o deputado federal e um dos líderes do MBL, Kim Kataguiri (DEM-SP), o objetivo é atrair ex-eleitores de Bolsonaro. “Para derrubar Bolsonaro, precisamos falar com o eleitorado dele que foi traído. O governo hoje se sustenta apenas por uma articulação frágil com o Centrão. Enquanto governo, é uma tragédia em todos os aspectos”.

Apesar da resistência do Centrão, os movimentos acreditam que a mobilização pelo impeachment está crescendo Para Celina Ferreira, do Vem Pra Rua, “a CPI vem trazendo à tona a negligência, a corrupção e outros crimes de Bolsonaro e não há por que esperar mais para pedir seu impeachment. Só superaremos a pandemia e a crise econômica com Bolsonaro fora do governo”.

MBL no PSL

O MBL deve participar de outro ato político para anunciar a filiação do deputado estadual Arthur do Val ao PSL – ele deve ser lançado pré-candidato ao governo paulista.

Além dele, devem ir para sigla o deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) e outras lideranças do grupo. Procurado, Arthur do Val disse que ainda não há definição quanto à pré-candidatura.

Em 2020, a maioria dos quadros do MBL participou das eleições pelo Patriotas, mas o partido se aproximou de Bolsonaro e ofereceu legenda para o presidente disputar à reeleição. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.