Governo SP
Governo SP

'Que ele siga as recomendações da medicina', diz Doria sobre diagnóstico de Bolsonaro

Governador se manifestou pelo Twitter; corpo técnico do Estado reforçou críticas ao uso da cloroquina

Bruno Ribeiro e Marina Aragão, O Estado de S. Paulo

07 de julho de 2020 | 14h05

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), publicou uma mensagem em sua conta no Twitter em que deseja "pronta recuperação" ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e pede "que ele siga as orientações da medicina" para que "em breve, seja restabelecido". A mensagem foi publicada pouco após Bolsonaro chamar alguns veículos de imprensa para informar que havia recebido diagnóstico positivo para a covid-19.

Desde o início da crise, governador e presidente trocaram diversas farpas sobre a condução da pandemia. Doria vinha cobrando que o presidente agisse seguindo recomendações dos cientistas para o controle da pandemia e Bolsonaro vinha criticando o isolamento social defendido pelo governador paulista. Ainda em março, eles tiveram uma discussão pública, via teleconferência, quando houve uma reunião para discutir a pandemia

Os gestores do Centro de Contingência da Coronavírus em São Paulo também comentaram a confirmação do teste do presidente, durante entrevista coletiva realizada nesta tarde, no Palácio dos Bandeirantes, para o balanço diário da evolução da doença.  "Que possa o mais rápido possível se recuperar e voltar a exercer as suas atividades novamente", disse o médico João Gabbardo, que era da equipe do ex-ministro da Saúde Luiz Mandetta, que deixou o cargo após atritos com o presidente. 

Já o coordenador do Centro de Contingências, o epidemiologista Paulo Menezes, comentou a nova defesa à cloroquina feita pelo presidente. "Nós colocamos diversas vezes que não há evidências de efetividade do uso da cloroquina, especialmente em casos de covid-19 mais leves. No entanto, a secretaria de Saúde e o Estado de São Paulo têm se posicionado de que é possível a prescrição da cloroquina a critério do médico e do paciente. Pode ser uma escolha essa prescrição e nós mantemos essa posição", disse.

Também desafeto político do presidente Jair Bolsonaro, o governador do Rio Wilson Witzel, que chegou a ser infectado com o novo coronavírus, se manifestou pelas redes sociais e desejou a "pronta recuperação" do presidente. "Também fui atingido pela Covid-19 e, seguindo as recomendações médicas, estou certo de que ele irá se recuperar brevemente", escreveu o governador no Twitter.

Huck diz que momento requer empatia após Bolsonaro declarar contágio por coronavírus 

Apresentador de TV e potencial candidato à Presidência em 2022, Luciano Huck, após o presidente Jair Bolsonaro disse que não iria fazer ironias e comentou sobre o diagnóstico do presidente Jair Bolsonaro. “Não vou fazer ironias. Muito menos iluminar rancores. O presidente do Brasil, goste dele ou não, testou positivo p/ covid-19. Isso é grave. Nenhum cidadão tem como se sentir seguro nestas condições. O momento é muito sério. E requer a empatia que cobramos dos outros”, escreveu no Twitter.

Tudo o que sabemos sobre:
João DoriaJair Bolsonarocoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.