Thiago Leon/ Santuário Nacional de Aparecida
Thiago Leon/ Santuário Nacional de Aparecida

‘Qualquer casamento é passível de divórcio’, diz porta-voz sobre Bolsonaro e PSL

Presidente ainda não tomou decisão sobre saída do partido, segundo general Otávio do Rêgo

Mateus Vargas, O Estado de S.Paulo

14 de outubro de 2019 | 21h38

BRASÍLIA – O porta-voz da Presidência, o general Otávio do Rêgo Barros, afirmou nesta segunda-feira, 14, que o presidente Jair Bolsonaro ainda não tomou uma decisão sobre uma eventual saída do PSL. "Qualquer casamento é passível de divórcio", disse. "Eventualmente chega-se a situação que é preciso que haja divórcio. Mas ele não qualificou que este momento, ou que este casamento, vai gerar divórcio. Ao menos neste momento", afirmou Rêgo Barros. 

Bolsonaro passou parte do dia centrado em tratar da disputa interna do PSL. O presidente recebeu parlamentares da sigla, além do ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Admar Gonzaga e a advogada Karina Kufa. Ambos atuam na busca de uma saída jurídica para um possível desembarque de deputados do PSL caso o presidente deixe a sigla. 

Segundo o porta-voz, Bolsonaro quer que o PSL serja "referência como partido político". "Para isso, é preciso que haja compliance, que haja a possibilidade de ir fundo nas análises do partido e confirmá-las".

Na semana passada, Bolsonaro externou a crise ao pedir a um militante que “esquecesse o PSL” e dizer que o presidente nacional da sigla, o deputado federal Luciano Bivar (PE), estava “queimado para caramba”.

Por meio do porta-voz, Bolsonaro também mandou recados ao líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP), que trocou insultos com o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) pelas redes sociais durante o final de semana. 

"(Bolsonaro) lembrou-me que apoiou Major Olímpio no final da campanha. Ajudou (o senador) a atingir quantidade considerável de votos, que o tornaram senador mais votado em São Paulo. A 5 dias das eleições, Major Olímpio encontrava-se, segundo alguns institutos de pesquisa, em 5º lugar", disse Rêgo Barros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.