Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Panelaços contra Bolsonaro são registrados em São Paulo, Rio e Brasília

Protesto foi realizado em ao menos doze bairros da capital paulista

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de março de 2020 | 22h05

Convocado para a noite desta terça-feira, 17, o panelaço contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi realizado em ao menos doze bairros da capital paulista: Bela Vista, Barra Funda, Campos Elíseos, Consolação, Higienópolis, Jardins, Perdizes, Pinheiros, Pompéia, Praça Roosevelt, Santa Cecília, Vila Madalena e Vila Romana. Também houve registros no Rio de Janeiro e em Brasília.

No domingo, o mandatário ignorou a orientação de ficar em isolamento até refazer testes para o coronavírus e participou de uma manifestação de seus apoiadores em Brasília contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF). Desde então, ele passou a ser criticado nas redes sociais, por políticos e médicos.

Autor do pedido de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff, o jurista Miguel Reale Junior defendeu nesta segunda-feira, em entrevista ao Estado, que Bolsonaro passe por um exame de sanidade mental. Coautora do pedido, a deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP) afirmou que se arrependeu de ter votado no presidente e disse que ele deveria renunciar

O ato estava marcado para 20h30, mas só começou em alguns bairros perto das 22h. Inicialmente, o panelaço havia sido convocado para a noite desta quarta-feira, 18. Nos bairro dos Jardins, em São Paulo, as panelas começaram a soar depois das 21h, quando os primeiros relatos de panelaços surgiram nas redes sociais. Ás 22h ainda era possível ouvir panelas isoladas e gritos de "Fora Bolsinaro" e "Fora miliciano". Não se escutava manifestações em defesa do presidente.

Esse tipo de ato permite que as pessoas possam se manifestar enquanto permanecem dentro de suas casas, recomendação das autoridades para tentar reduzir a disseminação do coronavírus. Em 2016, os panelaços se notabilizaram por demonstrar insatisfação contra a então presidente Dilma Rousseff, que sofreu impeachment.

Manifestações contra o presidente Bolsonaro também ocorreram na noite desta terça-feira no bairro de Laranjeiras, na zona sul do Rio, e na Asa Norte, bairro nobre de Brasília. 

Um panelaço e gritos com palavras de ordem contra Bolsonaro ocorreram na noite desta terça-feira em vários bairros da zona sul do Rio de Janeiro, como Copacabana, Cosme Velho, Humaitá, Flamengo, Laranjeiras e Glória. Os protestos começaram por volta das 20h30 e às 22h20 ainda havia manifestações em alguns bairros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.