Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Pacheco lamenta morte cerebral de Major Olimpio e decreta luto no Congresso; veja repercussão

Além do presidente do Senado Federal, prestaram homenagens ao parlamentar o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, o presidente do PSL, Luciano Bivar, e o governador de São Paulo, João Doria

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2021 | 17h11
Atualizado 18 de março de 2021 | 19h29

BRASÍLIA - O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), lamentou a morte cerebral do senador Major Olimpio (PSL-SP), comunicada nesta quinta-feira, após complicações pela covid-19. Pacheco decretou luto oficial de 24 horas no Congresso, período no qual não haverá celebrações no Legislativo. 

"Major Olímpio foi o terceiro senador que perdeu a vida para o novo coronavírus. O senador paraibano José Maranhão faleceu em fevereiro, e Arolde de Oliveira, senador pelo Rio de Janeiro, morreu em outubro do ano passado. As sinceras condolências do Parlamento Brasileiro à família, amigos e a todos os paulistas", diz nota assinada pelo presidente do Senado. Ele também publicou mensagem em seu perfil no Twitter.

O vice-presidente Hamilton Mourão desejou "força e fé" aos familiares e amigos do senador, também por meio de publicação em rede social.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), também foi a rede social lamentar a morte do senador. "Infelizmente mais uma vítima da covid-19", escreveu na mensagem.

Já o presidente do PSL, Luciano Bivar, publicou em nota de pesar que a morte precoce do senador "deixa todos nós sem chão". "Só nos resta nos solidarizar com sua família e pedir a Deus que nos proteja em espírito e força para caminharmos sempre juntos em busca dos nossos ideais."

Outros políticos prestaram as suas homenagens a Major Olimpio por meio de suas redes sociais. O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), escreveu em seu perfil no Twitter: "É com profundo pesar que recebo a notícia do falecimento do senador Major Olímpio na tarde desta quinta-feira. Meus sinceros sentimentos aos familiares e amigos."

Eduardo Bolsonaro (PSL), deputado federal por São Paulo, afirmou em sua nota: "Em que pese termos diversas discordâncias, não torço pela morte de ninguém".

O deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) definiu o senador como um de "seus mais combatentes políticos", também por meio de publicação em rede social.

Ex-presidente do Senado, o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) escreveu que Major Olimpio era um homem de "convicções fortes e bom coração". "Perde a política brasileira e todos nós, que ficamos mais pobres e mais tristes", completou.

Liderança do governo no Senado, 

José Serra, senador e ex-governador de São Paulo, escreveu por meio de nota: "A despeito de algumas divergências políticas, sempre estivemos juntos nos projetos em prol de São Paulo e do Brasil. Perdemos todos uma força política, ainda no começo da vida pública. Meus sinceros sentimentos à sua família e aos amigos. E também às mais de 280 mil famílias enlutadas no país." Serra também publicou mensagem no Twitter.

Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, publicou uma nota em redes sociais. "Que Deus conforte seus corações e que nossa nação esteja unida para combater o nosso único inimigo no momento, que é o vírus."

O ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, prestou a sua solidariedade à família. "Triste pandemia. Tristes tempos", afirmou.

A vereadora Janaina Paschoal (PSL), também por publicação em rede social, afirmou que "perdeu um amigo".

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.