Fotos: Dida Sampaio/Estadão
Fotos: Dida Sampaio/Estadão

'Moleque' x 'Cara de pau': Kim Kataguiri e Joice Hasselmann têm bate-boca no Twitter

É a segunda confusão nas redes sociais envolvendo a líder do governo no Congresso e parlamentares neste fim de semana

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

24 de março de 2019 | 23h39

Apesar das dificuldades na negociação do governo com a Câmara para a reforma da Previdência, a líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP) se irritou com um comentário do colega de Câmara Kim Kataguiri (DEM-SP) sobre o PSL e deu início a uma discussão pública com direito a insultos no Twitter neste domingo, 24. 

Kim havia apontado uma suposta contradição do tratamento do PSL em relação ao presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Ele disse que falta coerência ao partido do presidente Jair Bolsonaro.

Joice respondeu pedindo para que o líder do Movimento Brasil Livre não fosse "mais oportunista do que a média de sempre" e negou que o partido tivesse se manifestado nos termos utilizados por Kim. 

Ele retrucou: "Tem de ser muito cara de pau para falar em oportunismo. Dizia que Maia era o demônio na Terra, o arqui-inimigo da lava-jato, o simbolo-mor da corrupção. Depois de eleita, passou a ser Maia desde criancinha. Tenha dó." 

Joice respondeu chamando Kim de "moleque" (ele tem 23 anos) e pediu para deputado deixar "os adultos" trabalharem. "Kim, você está realmente o que sempre foi; um moleque. Só isso e mais nada. Biruta de aeroporto. Seus comportamentos em relação ao Jair Bolsonaro no 1º e 2º turnos da eleição mostram bem isso. Pega a chupeta e vai nanar, neném. Deixa os adultos trabalharem."

Não foi a primeira confusão envolvendo Joice nas redes sociais neste fim de semana. Ela também arranjou confusão com o PPS depois de ironizar a mudança no nome do partido para "Cidadania". No sábado, Joice escreveu que o Cidadania foi escolhido como "ninho dos movimentos AGORA E RENOVA-BR". "O partido ainda consta como membro do Foro de São Paulo, no site da organização", disse Joice. 

Líder do PPS na Casa, Daniel Coelho (PE) respondeu. "Estou sem acreditar que tenha tratado com tom de ironia um partido que trata de forma responsável os assuntos do país, sem pedir nada em troca, sem toma lá cá, que faz mais defesa da necessidade da reforma do que os deputados do seu PSL", reagiu Coelho. 

Joice acabou excluindo a publicação e, consequentemente, a resposta de Coelho. Ela também ligou para o líder do PPS para se desculpar e sugeriu que ele excluísse publicações sobre o assunto, mas o deputado negou. /COLABOROU JULIA LINDNER

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.