Evaristo Sá/AFP
Evaristo Sá/AFP

Maioria é a favor do impeachment de Bolsonaro, aponta Datafolha

Levantamento indica que 54% querem abertura de processo contra o presidente na Câmara; é o maior índice desde que instituto começou a pesquisar sobre o tema

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de julho de 2021 | 23h43

A maioria dos brasileiros é a favor do impeachment do presidente Jair Bolsonaro, aponta pesquisa Datafolha divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo neste sábado, 10 - 54% dos entrevistados disseram concordar com a abertura do processo na Câmara dos Deputados, ante 42% que responderam ser contra a medida. É a primeira vez que o índice de respondentes favoráveis ao impeachment fica acima do patamar de 50% desde que o Instituto Datafolha começou a fazer levantamentos sobre o tema, em abril de 2020.

O porcentual de pessoas que disse concordar com a cassação de Bolsonaro subiu cinco pontos desde a última pesquisa. Em levantamento realizado nos dias 11 e 12 de maio, essa taxa era de 49%, um empate técnico com o grupo contrário ao impeachment, de 46%.

Outro dado divulgado pelo instituto de pesquisas hoje indica que 63% dos brasileiros consideram o presidente incapaz de governar - a maior porcentagem desde abril do ano passado. Os que acreditam que Bolsonaro tem capacidade de governar são 34%. A mesma pesquisa também apontou que a rejeição ao governo atingiu o maior índice - 51% opinaram que a gestão federal é ruim ou péssima, ante 24% que acreditam ser boa ou ótima.

O Datafolha ouviu 2.074 maiores de 16 anos, de forma presencial, entre 7 e 8 de julho. A margem de erro é de dois pontos porcentuais, para mais ou para menos.

Resultados semelhantes foram encontrados em pesquisa Ipec divulgada no mês passado: o porcentual de brasileiros que rejeita o governo subiu de 39% para 49% de fevereiro para junho. Um terço dos eleitores de Bolsonaro em 2018 está arrependido e disse que não votará no presidente de jeito nenhum em 2022.

Suspeitas de corrupção na compra de vacinas, ataques ao processo eleitoral e manifestações de rua em diversas cidades do País chacoalharam o governo nas últimas semanas. A abertura de um processo de impeachment, no entanto, depende da aprovação do presidente da Câmara. O aliado de Bolsonaro Arthur Lira (PP-AL) rechaçou a possibilidade neste sábado: "Não temos condição de um impeachment para esse momento. O Brasil não deve se acostumar a desestabilizar a política em cada eleição. Não podemos fazer isso. Precisamos, talvez, alterar o sistema do Brasil para um parlamentarismo".

No final do mês passado, movimentos e partidos de esquerda, siglas de centro, centro-direita e ex-bolsonaristas protocolaram um superpedido de impeachment com 46 assinaturas.

Tudo o que sabemos sobre:
Jair Bolsonaroimpeachment

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.