Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Jungmann diz que Forças Armadas estão a postos para emergências durante julgamento de Lula

Ministro da Defesa defendeu manifestações pró e contra o ex-presidente de forma ordeira

Anderson Bandeira - ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S. Paulo

22 Janeiro 2018 | 21h00

RECIFE - Em meio à tensão nas ruas de Porto Alegre para o julgamento do ex-presidente Lula, o ministro da Defesa, Raul Jungmann (PPS), afirmou nesta segunda-feira, 22, que as Forças Armadas estão a postos. Em entrevista à Rádio Pernambucana, Jungmann assegurou que existe "pessoal de pronto emprego para qualquer emergência".

 

"Estamos prontos e atentos", disse o ministro ressaltando, entretanto, que o esquema montado pelo governo do Estado Rio Grande do Sul e os acordos firmados com os movimentos permitirá a tranquillidade no dia do julgamento. Durante entrevista, Jungmann também defendeu o direito de mobilização dos manifestantes pró e contra o ex-presidente, mas de forma ordeira. “Há lugar para protesto, manifestar opinião, mas dentro da ordem, com respeito às pessoas e à propriedade”, disse.

++ AO VIVO: O julgamento de Lula no TRF-4

++ Entorno do TRF4 terá bloqueio ‘aéreo, terrestre e naval’ a partir de terça-feira

O ministro também criticou as recentes declarações da presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann. Na semana passada, a líder petista afirmou que "para prender Lula, vai ter que prender muita gente, mas, mais do que isso, vai ter que matar gente". Segundo Jungmann, as declarações incitam a desordem e devem ser combatidas pelos órgãos de Justiça. "Quem faz isso evidentemente está incitando a desordem e aí o Ministério Público e Justiça têm que agir. Só entramos em ação quando há colapso", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.