REUTERS/Adriano Machado
REUTERS/Adriano Machado

Heleno vai a ato pró-Bolsonaro em  Brasília, mas nega ter participado de manifestação

Pelo Twitter, ministro justificou dizendo que foi a via central apenas para cumprimentar policiais que faziam a segurança do Planalto

André Borges, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2020 | 12h41

Brasília – O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, negou que tenha participado, neste domingo, 7, de um ato pró-Bolsonaro, após ter caminhado entre manifestantes em frente à Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Heleno esteve na Esplanada, entre os manifestantes. Imagens nas redes sociais mostram o ministro caminhando entre pessoas que protestavam e cumprimentando policiais que faziam o isolamento dos grupos contrários e favoráveis ao presidente. Um dos vídeos mostra o momento em que o general é chamado de fascista por opositores do governo, para de cumprimentar os agentes de segurança e segue em direção ao lado governista dos protestos.

No Twitter, o general disse que foi até a via central de Brasília apenas para agradecer pelo trabalho das Forças Armadas. O ministro fez referência ao canal de TV CNN, dizendo que não teria ido ao local para se manifestar. “POR FAVOR,CNN. NÃO FUI PARTICIPAR DE MANIFESTAÇÃO. As imagens mostram. Fui à Esplanada dos Ministérios agradecer aos integrantes das F Seg, pelo trabalho abnegado e competente que realizam, em prol de manifestações pacificas. É atitude de camaradagem, comum entre nós, militares.”

Durante a semana, o presidente Jair Bolsonaro chegou a pedir a manifestantes pró-governo que não fossem à Esplanada neste domingo, como forma de evitar atritos com os manifestantes contra o governo, que estiveram presentes em maior volume na Esplanada. Os atos em Brasília se encerraram por volta do meio-dia e ocorreram de forma pacífica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.