Covas mantém procuradora-geral e controlador-geral do Município

Câmara e Prefeitura citam combate a pandemia e informam que nenhuma autoridade dará coletiva, nem presencial e nem virtual, na posse

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de dezembro de 2020 | 20h41

O prefeito reeleito Bruno Covas anunciou nesta terça-feira, dia 19, que vai manter nos cargos a atual procuradora-geral do Município, Marina Magro, e o atual controlador-geral do Município, João Manoel Scudeler de Barros, para o seu segundo mandato comandando a cidade de São Paulo. Também foi anunciada a entrada do engenheiro Marcos Monteiro no cargo de secretário de Infraestrutura Urbana e Obras, pasta hoje ocupada por Vitor Aly.

Com os novos nomes, já foram divulgados 18 integrantes do primeiro escalão da nova equipe de Covas. A atual gestão possui 27 órgãos. As divulgações todas têm sido lançadas na conta do Instagram do mandatário, seguindo o padrão de três indicados por dia, na maioria dos dias. 

A informação de que Fernando Padula – ex-chefe de gabinete da Secretaria Estadual de Educação de São Paulo e denunciado pela máfia da merenda – será o novo secretário municipal da Educação foi publicada na véspera do Natal, às 17h24 da tarde, no horário de Brasília. Padula foi denunciado em 2018 pela Procuradoria-Geral de Justiça. De acordo com a acusação, ele teria feito vista grossa, em 2015, na contratação da cooperativa pivô do escândalo.

Sem coletiva

Citando as medidas emergenciais de combate à pandemia do coronavírus, a Câmara e a Prefeitura informaram à imprensa nesta terça-feira que nenhuma das autoridades que tomará posse – incluindo Covas e o vice-prefeito, Ricardo Nunes – darão coletiva de imprensa, seja presencial ou virtual, no dia da posse, 1º de janeiro (sexta-feira). 

O mesmo vale para todos os vereadores, incluindo os integrantes da nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de São Paulo, que será eleita na sexta-feira. Serão escolhidos o presidente da Casa, 1° vice-presidente, 2° vice-presidente, 1° secretário, 2° secretário e o corregedor-geral. Todos são responsáveis por administrar o Poder Legislativo de São Paulo.

A Prefeitura informou ao Estadão que Covas irá discursar na cerimônia de posse na Câmara e que não há a previsão de que nem ele, nem Ricardo Nunes e nem nenhum novo secretário responderá a perguntas da imprensa sobre a nova gestão.

Também na véspera de Natal, Covas sancionou uma lei que aumenta seu próprio salário em 46%. A nova norma, que foi aprovada pela Câmara um dia antes, também reajusta também o salário do vice-prefeito e de secretários municipais.

Veja a lista de confirmados no governo de Bruno Covas:

Marina Magro - procuradora-geral do Município

João Manoel Scudeler de Barros - controlador-geral do Município

Marcos Monteiro - secretário de Infraestrutura e Obras

Silvia Grecco - secretária da Pessoa com Deficiência

Alexandre Modonezi - secretário das Subprefeituras

Édson Aparecido - secretário da Saúde

Berenice Giannella - secretária de Assistência e Desenvolvimento Social

Fernando Padula - secretário da Educação

Levi Oliveira - secretário de Mobilidade e Transportes

Eunice Prudente - secretária de Justiça

Rubens Rizek Jr - secretário de Governo

Guilherme Bueno de Camargo - secretário da Fazenda

César Azevedo - secretário de Urbanismo e Licenciamento

Juan Quirós - secretário de Inovação e Tecnologia

Marta Suplicy - secretária de Relações Internacionais

Elza Paulino de Souza - secretária de Segurança Urbana

Aline Cardoso - secretária de Desenvolvimento Econômico e Turismo

Alê Youssef - secretário de Cultura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.