Marcos Corrêa/ PR
Marcos Corrêa/ PR

Comitê contra a pandemia liderado por Bolsonaro se reúne pela primeira vez nesta quarta

Grupo é formado pelo presidente da República, os presidentes da Câmara e do Senado, e um membro observante indicado pelo CNJ; Ministério da Saúde também participa da reunião

Emilly Behnke, O Estado de S.Paulo

31 de março de 2021 | 09h44

BRASÍLIA - O comitê de combate à covid-19 criado pelo governo se reúne pela primeira vez na manhã desta quarta-feira, 31. O grupo é liderado pelo presidente Jair Bolsonaro e foi anunciado na semana passada, após reunião com representantes dos três Poderes, ministros e governadores aliados. A reunião do colegiado ocorre no Palácio do Planalto.

O Comitê de Coordenação Nacional para Enfrentamento da Pandemia da Covid-19 é formado pelo presidente Bolsonaro, os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), além de um membro observante indicado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O Ministério da Saúde participa como responsável pela Secretaria-Executiva do colegiado.

O grupo foi criado após o País registrar recordes no número de mortes pelo novo coronavírus neste mês. O cenário na saúde é de colapso de várias redes hospitalares. Há registros de falta de leitos hospitalares e medicamentos para a intubação de pacientes.

Como resposta, governadores e prefeitos têm intensificado medidas de restrições, inclusive com toques de recolher para evitar a propagação do vírus. Bolsonaro, contudo, mantém o posicionamento contrário às medidas de isolamento, recomendadas por especialistas.

No comitê, o presidente do Senado é responsável por intermediar as demandas de governadores, com quem se reuniu na semana passada. Quando a criação do grupo foi anunciada, os chefes estaduais e prefeitos cobraram uma participação direta no colegiado. Também houve críticas ao governo por ter estabelecido o comitê um ano após o início da pandemia da covid-19 no Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.