Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Carlos Bolsonaro deixa sessão da Câmara do Rio antes de votação acabar

Filho do presidente também defendeu a proposta de entrega de homenagem ao vice-presidente Hamilton Mourão

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

15 de fevereiro de 2019 | 16h45

RIO - Pivô de uma crise no governo, aberta por uma briga sua com o secretário-geral da Presidência, Gustavo Bebianno, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC), um dos filhos do presidente Jair Bolsonaro, foi nesta sexta-feira, 15, à Câmara Municipal do Rio, mas deixou a sessão antes de a votação acabar.

A sessão precisava de 17 parlamentares presentes para continuar, mas na verificação de quórum só constaram 15 vereadores. Carlos, que marcou presença ao chegar, ficou menos de meia hora no plenário e não participou da contagem. A Casa só voltou nesta sexta do recesso parlamentar que começou no dia 26 de dezembro.

Antes de ir embora, Carlos compartilhou em suas redes sociais a foto de um requerimento de outro vereador para homenagear o vice-presidente Hamilton Mourão na Câmara Municipal. Carlos apoiou a proposta. "Assinando pedido de colega para oferecer a Medalha Pedro Ernesto para o general Mourão", escreveu.

Mourão tem demarcado diferenças em relação ao presidente Bolsonaro, em entrevistas diárias. Carlos já insinuou no Twitter que o vice gostaria de substituir seu pai na Presidência. A homenagem foi proposta pelo vereador Jimmy Pereira, do PRTB, partido de Mourão. Carlos não quis falar com a imprensa ao chegar à Câmara. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.