Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Bolsonaro reafirma indicação de Eduardo a embaixada: 'Não houve recuo'

Ainda ontem presidente havia demonstrado receio com indicação do deputado ao posto em Washington; 'Não quero submeter meu filho ao fracasso"

Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2019 | 11h13

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã desta quarta-feira, 21, que o nome do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) "vai ser apresentado ao Senado" como indicado para a Embaixada do Brasil em Washington. "Não tem recuo", disse Bolsonaro ao deixar o Palácio da Alvorada.

O presidente afirmou que considera fazer a indicação do filho em meados de setembro, após a "Semana do Brasil", que acontece em comemoração ao 7 de setembro, Dia da Independência. "Talvez em setembro, após a semana da pátria. Essa pergunta tem de fazer ao Eduardo, ele é que vai sentir o timing. Apenas vou usar a caneta Bic", declarou.

De acordo com levantamento feito pelo Estado e divulgado nesta segunda, 19, o Senado ainda resiste ao nome de Eduardo para a embaixada nos EUA. Dos 41 votos necessários para que o deputado seja aprovado pelo plenário, apenas 15 dos 81 senadores declararam apoio ao "filho 03" do presidente.

Segundo Bolsonaro, ele e o deputado aguardam "o momento certo" para a indicação. "O Eduardo está estudando, está se preparando. Vai ser uma sabatina [no Senado] em que todos vocês estarão lá, todos sem exceção, é igual urubu na carniça. Vai estar todo mundo lá de olho. E ele tem de fazer uma sabatina melhor do que se fosse o Ernesto Araújo [ministro da Relações Exteriores]."

Ontem, Bolsonaro havia demonstrado receio com a indicação de Eduardo para o posto em Washington. à imprensa, o presidente admitiu a possibilidade de desistir da indicação do filho caso perceba que não há votos suficientes no Senado para aprovar a indicação. "Não quero submeter meu filho ao fracasso", disse na terça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.