ALEX SILVA/ESTADÃO
ALEX SILVA/ESTADÃO

Podemos confirma desfiliação de Arthur do Val; deputado também deixa MBL

No Dia Internacional da Mulher, o Podemos confirmou a desfiliação de Arthur do Val; mais de 40 deputados estaduais de São Paulo haviam pedido a cassação do parlamentar na Alesp

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de março de 2022 | 15h33

O Podemos confirmou a desfiliação do deputado estadual Arthur do Val, nesta terça-feira, 8, após a divulgação de áudios sexistas em que diz que mulheres ucranianas são “fáceis porque são pobres”. Mais cedo, o parlamentar havia pedido sua desfiliação do partido.

“No dia da Mulher (08 de março), Podemos recebe e acata desfiliação do deputado estadual Arthur do Val (SP), diante da abertura do processo disciplinar que poderia resultar em expulsão do parlamentar”, afirmou a legenda em nota. O comunicado também ressalta a pressão da Executiva Nacional e de lideranças políticas do partido. 

Na segunda-feira, 7, a legenda abriu um procedimento disciplinar interno para avaliar um pedido de expulsão do deputado protocolado pelas presidentes do Podemos Mulher Nacional e estadual de São Paulo, respectivamente, Márcia Pinheiro e Alessandra Algarin.

Na ocasião, do Val disse que não tinha pensado sobre o processo de expulsão, mas que não pretendia pressionar a legenda a aceitá-lo. "Não quero que o partido seja forçado a me aceitar lá dentro, se o partido não me quiser, eu saio", disse do Val.

Deputado também deixa MBL

Arthur do Val também pediu para deixar o Movimento Brasil Livre (MBL). Em nota, o movimento lamentou a saída do deputado. "A decisão do Arthur do Val de sair do MBL é mais do que a perda de um quadro político. É a perda de um amigo que fizemos por volta de 2016, quando o movimento já tinha pouco mais de um ano de existência; é a perda de um homem que aprendemos a respeitar e admirar", diz o comunicado.

No entanto, o MBL ressaltou que espera que o afastamento do parlamentar seja temporário. "O MBL, portanto, aceita a sua saída, mas espera que ela seja apenas temporária. Esperamos que no devido momento ele possa retornar à casa onde cresceu enquanto comunicador e político", diz a nota do movimento.

O deputado já havia retirado a pré-candidatura ao governo de São Paulo. Ele migrou ao Podemos no começo do ano junto a lideranças do MBL, como forma de impulsionar o nome do presidenciável do partido, Sérgio Moro, na corrida presidencial.Após a divulgação dos áudios, contudo, o ex-juiz foi bastante criticado pela aliança com do Val e divulgou nota de repúdio às declarações. 

Na Assembleia Legislativa de São Paulo, o deputado enfrenta ainda nove representações individuais e três coletivas que pedem sua cassação por quebra de decoro. Ao menos 40 parlamentares já solicitaram sua punição formalmente.

Procurado, Arthur não respondeu sobre sua desfiliação ao partido. Mais cedo, enviou carta aos parlamentares pedido para que não seja cassado da Alesp e confirmando que não tentara a reeleição ao cargo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.