Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Ao menos três ministros que estiveram com Bolsonaro fazem testes para covid-19

Os ministros Braga Netto e Luiz Eduardo Ramos fizeram teste rápido, com resultado negativo; o ministro Jorge Oliveira aguarda resultados

Daniel Weterman e Jussara Soares, O Estado de S.Paulo

07 de julho de 2020 | 12h56

BRASÍLIA - Ministros que despacharam na segunda-feira, 6, com o presidente Jair Bolsonaro realizaram exame para a covid-19 após o chefe do Executivo apresentar sintomas leves da doença. Nesta terça-feira, 7, Bolsonaro afirmou que contraiu o novo coronavírus. Os ministros Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) fizeram teste rápido e o resultado foi negativo.  O ministro Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) também fez o exame e aguarda os resultados. 

Todos os três ministros seguem despachando no Palácio do Planalto.  Segundo a agenda oficial, o presidente ainda teve reunião com os ministros Paulo Guedes (Economia), Levi Mello (Advocacia-Geral da União) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), que já contraiu a doença.  

O teste rápido feito pelos ministros é impreciso para detectar o novo coronavírus. O exame detecta a presença de anticorpos para o vírus no sangue. Os anticorpos, no entanto, só são identificáveis a partir do sétimo dia do surgimento dos sintomas da infecção. 

De acordo com a assessoria de imprensa do ministro da Secretaria de Governo, se o resultado do exame de Bolsonaro desse positivo, Ramos deveria se submeter a um exame mais preciso, chamado de RT-PCR, que envolve a retirada de material genético a partir de um cotonete usado na parte posterior do nariz ou da garganta. A assessoria de Braga Netto disse que informará caso um novo exame seja realizado.

Apesar já apresentar sintomas como dores no corpo e febre, Bolsonaro despachou todo o dia de ontem , A última reunião ocorreu às 16h40 com o secretário especial de Cultura, Mário Frias. Sem registro oficial, o presidente se encontrou com dois candidatos para assumir o Ministério da Educação. 

Pela manhã, esteve com o reitor da Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc), Aristides Cimadon, de 70 anos. Depois, almoçou com o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), que foi sondado para o cargo.  Ao Estadão, o parlamentar aguarda os resultados do exame do presidente para se submeter a um teste. Major Vitor Hugo diz que está sem sintomas e segue despachando de casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.