Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Tarso Genro sinaliza apoio a Boulos caso Lula não seja candidato nas eleições 2018

Em evento público, ex-governador disse que presidenciável do PSOL conseguiu formar um 'discurso da esperança'

Filipe Strazzer, O Estado de S.Paulo

16 Julho 2018 | 23h33

PORTO ALEGRE - Em debate público realizado na noite desta segunda-feira, 16, em Porto Alegre, o ex-ministro e ex-governador gaúcho Tarso Genro defendeu o apoio do PT ao pré-candidato do PSOL à Presidência nas eleições 2018, Guilherme Boulos, caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso pela Operação Lava Jato, não possa se candidatar.

“Nós vamos defender que o PT lidere uma nova frente política e convide o companheiro Boulos para ser nosso candidato à Presidência da República”, disse Tarso durante debate denominado “Os Caminhos da Esquerda”, realizado no teatro da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. Tarso foi aplaudido por uma plateia composta principalmente por militantes de partidos e movimentos sociais de esquerda. 

Tarso Genro disse que vem sinalizando desde outros debates seu apoio a Boulos. Para ele, o pré-candidato do PSOL representa “um espírito que a esquerda vinha perdendo” e que Boulos conseguiu constituir um “discurso de esperança”.

++ Manuela D’Ávila coloca questão financeira como prioritária para Minas Gerais 

O ex-ministro também criticou o PT por não discutir alternativas conjuntas de esquerda caso Lula não seja candidato. “Vários quadros do Partido dos Trabalhadores vamos propor Boulos para a Presidência, se o PT ousar a fazer uma discussão, que até agora essa discussão não foi feita”, afirmou.

Coragem

Em sua fala, Guilherme Boulos elogiou o que ele chamou de “generosidade e a coragem de Tarso Genro em construir pontes num momento que todo mundo está querendo dinamitá-las”. Da mesma forma, Boulos criticou a prisão do ex-presidente Lula e também pediu a unidade das esquerdas. “É necessário unidade. Unidade das forças democráticas, das forças de esquerda, em defesa da democracia e dos direitos sociais. Isso é um desafio histórico que está colocado para nós hoje”, disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.