Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

PTB de Roberto Jefferson lança pré-candidatura de Marcos da Costa à Prefeitura de São Paulo

Pré-candidatura é mais um movimento do ex-deputado, aliado de Jair Bolsonaro, para fortalecer o PTB em São Paulo

Matheus Lara e Paula Reverbel, O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2020 | 11h24
Atualizado 28 de julho de 2020 | 17h27

O ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo Marcos da Costa teve sua pré-candidatura à Prefeitura da capital lançada pelo PTB, partido de Roberto Jefferson. A decisão veio depois de conversas com o ex-deputado, que recentemente se tornou aliado do presidente Jair Bolsonaro.

Atualmente Marcos da Costa preside o Instituto Trabalhista de Formação de Lideranças Políticas (ITFLP), braço do partido que atua na formação de líderes. A pré-candidatura de Marcos da Costa é mais um movimento de Roberto Jefferson para fortalecer o PTB em São Paulo.  

"Além de ser leal e totalmente enlaçado aos princípios e à história do partido, é um homem preparado para ocupar a cadeira de prefeito porque tem espírito público, experiência e sensibilidade social", diz o deputado estadual Campos Machado, presidente da sigla no Estado. Com Marcos da Costa, já são 11 nomes na lista de cotados para disputar a Prefeitura de São Paulo. Veja quem são eles.

Há dois dias, o PTB anunciou a filiação do deputado estadual bolsonarista Douglas Garcia, que tinha sido expulso do PSL por ataques ao Supremo Tribunal Federal. "Vai ajudar o PTB a crescer e fazer com que possamos construir propostas que levem São Paulo e o Brasil a trilhar o verdadeiro caminho da competitividade, da modernidade e da prosperidade", disse Jefferson a respeito da chegada do deputado à sigla. 

Ele também se reuniu com militares, lideranças de movimentos e empresários. Entre eles, o tenente-coronel Adriano da Costa e Silva; o coordenador do Movimento União Barsil Conservador, Malta Jones; e o empresário Otávio Fakhoury.

Quem é Marcos da Costa

Ex-presidente da OAB-SP, Marcos da Costa perdeu a reeleição da entidade em 2018 para o atual líder, Caio Augusto, que ganhou com votação maciça no interior. Marco é do grupo político do também ex-presidente da OAB e criminalista, Luiz Flávio Borges D'Urso, e foi o sucessor dele. Ambos são próximos do presidente do PTB de São Paulo, o deputado federal Campos Machado. A derrota para Caio marcou o fim de um continuísmo de 14 anos na gestão da Ordem paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.