DIvulgação
DIvulgação

Paulo Câmara (PSB) afirma não temer crescimento do PP em Pernambuco

Pré-candidato à reeleição, governador pernambucano não descarta apoio ao PP na escolha de novo presidente da Assembleia

Kleber Nunes, O Estado de S.Paulo

04 Julho 2018 | 22h17

RECIFE - O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), afirmou nesta quarta-feira, 4, que não teme o crescimento do PP no Estado e disse acreditar que o partido se manterá leal ao seu projeto de reeleição, sobretudo, agora que o grupo assumiu interinamente a presidência da Assembleia Legislativa, após a morte do presidente do Legislativo Estadual pernambucano, Guilherme Uchoa, na terça

Para evitar o desembarque do maior partido da sua base, o pessebista afirmou que não descarta apoiar o PP na eleição do novo presidente da Casa, em agosto.“Nenhum (problema) em apoiar (o PP). O PSB sempre teve a capacidade de construir consensos e, com certeza, mais uma vez vai construir esse consenso dentro do que a maioria (de parlamentares) entender que seja bom para a Assembleia”, declarou Câmara na abertura da Feira Nacional de Negócios do Artesanato, no Recife.

+++ PP assume interinamente comando da Assembleia de Pernambuco e pressiona governo Paulo Câmara

O PP é maioria na Assembleia pernambucana. Ocupa 14 das 49 cadeiras da Casa e tem ainda o apoio de dois deputados estaduais do PR. Além disso, a legenda comanda o Porto de Suape, o Instituto de Pesos e Medidas (Ipem), o Laboratório Farmacêutico do Estado de Pernambuco (Lafepe), as secretarias de Desenvolvimento Social e Desenvolvimento Econômico e a administração de Fernando de Noronha. 

Sob o direção do deputado federal Eduardo da Fonte, o PP disputa com MDB, PC do B e PT uma vaga na chapa majoritária de Câmara. “A gente sabe muito bem que o PP tem ajudado muito. Deputados que estão no PP eram do PSB, ou seja, eram da nossa base, continuam na nossa base e vão continuar nos ajudando”, afirmou o governador.

Câmara disse considerar importante que o próximo presidente da Assembleia “dê continuidade ao trabalho de Guilherme Uchoa”. Em relação à indicação de nomes para a eleição do presidente da Casa, o governador declarou que terá “o cuidado de respeitar a autonomia (dos parlamentares)”. 

Deputados estaduais ouvidos pela reportagem afirmaram que cinco nomes já estão na disputa pela a presidência da Assembleia até janeiro de 2019: Romário Dias (PDS), que presidiu a Casa entre 2001 e 2006, Alberto Feitosa (Solidariedade), Waldemar Borges (PSB), Eriberto Medeiros (PP) e Cleiton Collins (PP), atual presidente em exercício.

 



 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.