Flávio Bolsonaro / Divulgação
Flávio Bolsonaro / Divulgação

'Nunca fiz mal a ninguém', diz Bolsonaro após facada

Presidenciável do PSL, atacado em campanha na cidade de Juiz de Fora (MG), está em estado estável na Santa Casa e conseguiu se pronunciar sobre ataque

Leonardo Pinto, O Estado de S.Paulo

07 Setembro 2018 | 07h34
Atualizado 07 Setembro 2018 | 07h43

Na primeira declaração pública após ter sido esfaqueado em ato de campanha, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) disse que "nunca fez mal a ninguém". Após passar a madrugada no Hospital da Santa Casa, em Juiz de Fora (MG), o senador e pastor capixaba Magno Malta (PR-ES) publicou na manhã desta sexta-feira, 7, imagens e um breve depoimento do candidato, que está na UTI.

Bolsonaro agradeceu a equipe médica, Deus e disse ser inofensivo. “Será que o ser humano é tão mau assim? Eu nunca fiz mal a ninguém", disse o presidenciável do PSL. "Eu estava muito preocupado. Parecia apenas uma pancada na boca do estômago, mas já levamos bolada no futebol. A dor era insuportável. Por isso parecia que tinha algo mais grave acontecendo. Essa equipe maravilhosa e abençoada evitou que o mal maior acontecesse", complementou Bolsonaro, com voz baixa. 

"Muito obrigado aos médicos e enfermeiros de todo o Brasil por ter colocado essas pessoas certas nesse dia, às vésperas do nosso 7 de setembro", disse. Ele lamentou ainda não poder participar das festividades da data no Rio. Bolsonaro comentou ainda que já se preparava para um momento como esse. 

Magno Malta, apoiador declarado de Bolsonaro, também gravou vídeos sobre sua chegada ao hospital. Em um deles, fez uma oração ao lado do leito de Bolsonaro e seus filhos. Mais cedo, disse que o ataque era um "acinte contra a nação"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.