Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Mais rico a prestar contas, Amoêdo declara patrimônio de R$ 425 milhões

No Twitter, candidato do Novo diz que conquistou seu patrimônio com ‘dedicação, trabalho, estudo e responsabilidade'

Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

13 Agosto 2018 | 16h35
Atualizado 14 Agosto 2018 | 18h22

BRASÍLIA  - O candidato do Partido Novo à Presidência da República, João Amôedo, declarou à Justiça Eleitoral possuir R$ 425 milhões em bens. Ele é, até o momento, o postulante ao Planalto mais rico dos seis que já tiveram pedido de registro de candidatura formalizados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nas eleições 2018. “Patrimônio conquistado com muito estudo, trabalho, dedicação e responsabilidade”, disse ele no Twitter. 

Os bens mais valiosos de Amoêdo são aplicações financeiras, imóveis, objetos colecionáveis (obras de arte e joias), embarcações, automóveis e quotas de empresas e ações. Só de aplicação de renda fixa ele diz ter R$ 217 milhões. 

A Justiça Eleitoral não detalhou as declarações de bens dos candidatos em 2018. Uma das empresas da família de Amoêdo é a Fina Participações, holding com sede em São Paulo. Ele também consta no quadro de titulares da CSA Fomento Comercial.

Candidato a vice na chapa de Amoêdo, o professor e cientista político Christian Lohbauer informou possuir bens avaliados em R$ 4,1 milhões. Os outros cinco vices, juntos, somam R$ 8,1 milhões.

Fundador do Novo, Amoêdo é engenheiro e administrador de empresas e fez carreira no setor financeiro, tendo começado no Citibank. Foi vice-presidente do Unibanco, fez parte do conselho de administração do Itaú-BBA e até o ano passado era conselheiro da João Fortes Engenharia.

Neste ano, Amoêdo poderá financiar a própria campanha até o limite de R$ 70 milhões no primeiro turno, e mais R$ 35 milhões caso vá para o segundo turno. Com base na lei eleitoral, o presidenciável está apto a distribuir a outros candidatos, como doação, valores até o limite de 10% de seus rendimentos no ano anterior. Ele prega que os partidos não usem recursos públicos. Candidatos do Novo a governador também declararam patrimônios variando, individualmente, entre R$ 1,8 milhão e R$ 82 milhões.

Outros cinco presidenciáveis já declararam bens

No total, 13 chapas que concorrem à sucessão do presidente Michel Temer devem solicitar o registro até amanhã. Os outros cinco candidatos que já declararam seus bens ao TSE, somados, possuem R$ 3,1 milhões. Geraldo Alckmin, do PSDB, afirmou possuir um patrimônio de R$ 1,379 milhão. Ciro Gomes, do PDT, informou ter R$ 1,6 milhão em bens. A candidata do PSTU, Vera Lúcia, listou a posse de um terreno estimado em R$ 20 mil.

Guilherme Boulos, do PSOL, informou possuir um veículo avaliado em R$15.416. O candidato do Patriota, deputado Cabo Daciolo, não declarou bens.

Minuto Estadão - Quem são os candidatos à Presidência da República?

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.