Divulgação
Divulgação

Em estreia na TV, Covas foca em pandemia e diz que câncer é um 'soco na cara'

Programa, obtido com exclusividade pelo Estadão, mostra imagens do tucano ao lado do filho durante o tratamento no Hospital Sírio-Libanês

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

08 de outubro de 2020 | 21h15

Em estreia no horário eleitoral gratuito da televisão, que começa nesta sexta-feira, 9, o prefeito Bruno Covas (PSDB) colocou a pandemia do coronavírus em primeiro plano e chamou de "soco na cara" a descoberta de um câncer em outubro do ano passado. 

O programa, obtido com exclusividade pelo Estadão, mostra imagens do tucano ao lado do filho durante o tratamento no Hospital Sírio-Libanês. "Depois de três ou quatro dias que comecei a tratar de uma infecção, descobri que estava com câncer. É um soco na cara. Não adianta ficar parado lamentando as dificuldades", disse o prefeito. 

Em seguida, é exibido um vídeo com um discurso na Assembleia Legislativa do ex-governador Mário Covas (PSDB), avô de Bruno, que morreu vítima de câncer. "Não me venha falar em adversidade. Diante dela, só existem três atitude possíveis: enfrentar, combater e vencer", disse o ex-governador. 

Na sequência, uma imagem do filho do prefeito aparece enquanto Covas diz que o garoto e seu avô são as maiores inspirações. "Eu estou bem, saudável. Fazendo meu tratamento. Cada dia melhor que outro."

Para Entender

Calendário Estadão

As datas, definições partidárias, candidaturas e a cobertura especial do jornal das campanhas pelo País e nos Estados Unidos

O programa de estreia começa com o prefeito ainda de barba e antes de ser diagnosticado com câncer em Washington, no ano passado. Na ocasião, o prefeito viajou para uma reunião do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), na qual conseguiu um empréstimo de R$ 1 bilhão para investimento da saúde na capital antes da pandemia. "Enfrentar a crise do coronavírus foi e continua sendo um desafio permanente", disse. 

Em setembro, uma pesquisa do Ibope feita em parceria com o Estadão e a Associação Comercial de São Paulo (ACSP) mostrou que a atuação do prefeito Bruno Covas no combate aos efeitos da pandemia do novo coronavírus é aprovada por 54% dos paulistanos e reprovada por 40%

Desde março, quando começou a pandemia e foi feita a primeira pesquisa da parceria Ibope/ACSP/Estadão, tanto Covas quanto o governador João Doria (PSDB) tiveram melhora na avaliação de suas gestões por parte dos moradores da capital. Nos últimos seis meses, o prefeito, que é candidato à reeleição, viu a avaliação positiva de sua administração subir oito pontos percentuais. A parcela da população que considera a administração boa ou ótima passou de 20% para 28%, enquanto as de ruim/péssimo caíram de 32% para 28%.   

Com 29 inserções diárias e 3min29s em cada bloco, o tucano, que conta com uma coligação de 10 partidos, tem a maior fatia dos tempos de TV e rádio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.