Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Bolsonaro volta a defender proposta de escolas militares, com pelo menos uma em cada Estado

Candidato do PSL ao Palácio do Planalto escreveu no Twitter que pretende alcançar 'altos índices de educação' com colégios deste tipo

Cristian Favaro, O Estado de S.Paulo

10 Outubro 2018 | 12h51

O candidato do PSL ao Planalto, Jair Bolsonaro, voltou a defender a adesão do modelo de escola militar caso eleito. "Como digo desde o início, pretendemos levar este modelo para pelo menos uma escola de cada Estado do Brasil, alcançando altos índices de educação e assim servindo como referência", escreveu, nesta quarta-feira, 10, em seu Twitter. Bolsonaro disputa o segundo turno das eleições 2018 com Fernando Haddad, do PT.

Bolsonaro acrescentou que há preconceito quando o assunto é escola coordenada por militares, mas que já teria sido provado o sucesso do modelo. "No Amazonas, por exemplo, uma escola localizada em área pobre, dominada pela criminalidade e de baixíssimo desempenho se tornou referência nacional em educação", escreveu. 

Debates

Bolsonaro não participará de nenhum dos debates do 2º turno que estavam programados para a próxima semana, como os do Estadão/Gazeta; SBT/Folha e RedeTV/IstoÉ. Os médicos Antonio Luiz de Vasconcellos Macedo e Leandro Echenique examinaram o candidato nesta quarta e informaram à imprensa que o candidato do PSL ao Planalto terá alta para atividades públicas de campanha a partir da quinta-feira da próxima semana, dia 18. "Com certeza ele terá condições na semana que vem", afirmou Macedo. 

Bolsonaro ainda enfrenta uma anemia e precisa recuperar massa perdida. "Ele ainda tem anemia. Então, a liberação não é completa. Não pode fazer viagens, nem atividades mais prolongadas", disse Echenique.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.