Mauro Pimentel/AFP
Mauro Pimentel/AFP

Bolsonaro não participará de nenhum debate do 2º turno até a próxima semana

Médico informou que o candidato ainda enfrenta uma anemia, mas terá alta para atividades públicas de campanha a partir do dia 18

Leonencio Nossa e Yan Boechat, Especial para o Estadão/Broadcast Político

10 Outubro 2018 | 11h03

O presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, não participará de nenhum dos debates do 2º turno que estavam programados para a próxima semana, como os do Estadão/Gazeta; SBT/Folha e RedeTV/IstoÉ. Os médicos Antonio Luiz de Vasconcellos Macedo e Leandro Echenique examinaram o candidato nesta quarta-feira, 10, e informaram à imprensa que o candidato do PSL ao Planalto terá alta para atividades públicas de campanha a partir da quinta-feira da próxima semana, dia 18. "Com certeza ele terá condições na semana que vem", afirmou Macedo. Ao ser informado sobre a decisão, o candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad (PT), que disputa o 2º turno com Bolsonaro, disse que aceita ir até uma enfermaria para debater.     

Bolsonaro ainda enfrenta uma anemia e precisa recuperar massa perdida. "Ele ainda tem anemia. Então, a liberação não é completa. Não pode fazer viagens, nem atividades mais prolongadas", disse Echenique.

Macedo afirmou que a preocupação é garantir que o candidato recupere 15 quilos perdidos em duas cirurgias, uma ainda em Juiz de Fora (MG), no dia 6 de setembro, quando Bolsonaro levou a facada, e outra no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, no dia 28. "Só com essa segunda cirurgia que eu fiz, ele perdeu muita massa muscular, porque é um homem magro. Vamos fazer, agora, uma intensa recuperação nutricional proteica. É preciso repor isso antes de qualquer situação de estresse."

O médico cirurgião informou que a recuperação, no momento, exige um "repouso relativo". "Ele aguentou um atentado terrível, mas estará liberado, com certeza, a partir da semana que vem. Na quinta-feira, ele deverá ir ao Hospital Albert Einstein para fazermos novos exames e, assim, será liberado para tudo que for necessário".

Macedo disse ainda que Bolsonaro deverá passar por uma rápida cirurgia relacionada à retirada da colostomia, uma bolsa de acúmulo de fezes que foi acoplada ao seu corpo. Essa cirurgia, segundo os médicos, poderá ser feita a partir de 12 de dezembro, ou mesmo em janeiro. "É uma cirurgia muito mais simples que as demais", afirmou.

Debate. Antes de a equipe médica do presidenciável Jair Bolsonaro desautorizá-lo de participar do debate na Rede Bandeirantes nesta semana (veja a agenda de debates abaixo), a direção de jornalismo da emissora trabalhava com a possibilidade de que o encontro pudesse ocorrer no Rio de Janeiro. No início da semana, a equipe de Bolsonaro acenou com a possibilidade de o debate ocorrer no Rio de Janeiro, caso os médicos do candidato do PSL o proibissem de tomar um avião.

Uma equipe da Bandeirantes de São Paulo foi deslocada para o Rio de Janeiro para montar o estúdio e a logística para que o debate pudesse ocorrer. A expectativa ainda na manhã desta quarta era de que Bolsonaro confirmaria sua participação nesta sexta-feira, 12. A informação de que o presidenciável não participará do debate nem mesmo no Rio pegou os profissionais da emissora de surpresa.

RedeTV! cancela debate

A RedeTV! informou nesta quarta-feira que cancelou o debate presidencial devido ao estado de saúde de Jair Bolsonaro. O encontro estava marcado para 15 de outubro. /Colaborou Mateus Fagundes

Debates que estavam marcados para o segundo turno:

11/10 – Band - 22h

14/10 – Gazeta- 19h30

17/10 – SBT - 18h20

21/10 –  Record - 22h

26/10 –  Globo - 21h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.