Bolsonaro encontra Russomanno em SP e grava frases para programa eleitoral

O presidente e o candidato se encontraram na sala de autoridades de Congonhas antes de viagem do mandatário para o Guarujá

Paula Reverbel, O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2020 | 20h07

O presidente da República Jair Bolsonaro esteve em São Paulo na tarde desta sexta-feira, dia 30, onde encontrou o deputado Celso Russomanno (Republicanos), candidato à Prefeitura de São Paulo, e gravou algumas frases para serem usadas na propaganda eleitoral do aliado nas eleições 2020. O encontro aconteceu antes de o mandatário ir para o Guarujá, onde pretende passar o feriado.

O encontro não constava na agenda oficial do presidente e nem na agenda divulgada pela  equipe de campanha de Russomanno. De acordo com o marqueteiro e estrategista da candidatura, Elsinho Mouco, ambos se reuniram na na sala de autoridades do Aeroporto de Congonhas. Ele chamou as frases gravadas por Bolsonaro de “inputs”.

Segundo o que Mouco havia dito ao Estadão um dia antes, existe também a expectativa de que Bolsonaro grave um comercial para a TV na semana que vem, com três motes: construção de moradias, auxílio paulistano e auxílio saúde. A propaganda de Russomanno deve continuar a explorar o vínculo entre o governador João Doria e o prefeito Bruno Covas, ambos do PSDB.

“Vamos mostrar que o (Guilherme) Boulos do Chico Buarque não é o mesmo que aparece na TV”, afirmou o marqueteiro na ocasião. As inscrições mais recentes têm feito críticas ao candidato do PSOL, classificando-o como um invasor de casas. Boulos é coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), grupo que invade imóveis vazios e com volumosas dívidas de IPTU, com o fim de pressionar a transformação deles em moradias populares.

Essa semana, depois que o Datafolha estimou que Russomanno havia sofrido uma queda de 7 pontos percentuais na intenção de voto, as propagandas na TV deixaram de usar os trechos do jingle da candidatura que citavam Bolsonaro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.