Reprodução/Twitter de Eduardo Bolsonaro
Reprodução/Twitter de Eduardo Bolsonaro

Bolsonaristas batem recorde de votação na Câmara e Assembleia em SP

Eduardo Bolsonaro e Janaína Paschoal batem recorde de votos para deputado estadual e federal em SP

Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

08 Outubro 2018 | 00h11

Ícone do processo de impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff (PT), a advogada e professora Janaina Paschoal (PSL) foi a deputada estadual mais votada da história da Assembleia Legislativa paulista, com mais de 2 milhões de votos. Na eleição para deputado federal, o filho do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), Eduardo Bolsonaro, do mesmo partido, também bateu recorde, com 1,8 milhão de votos em São Paulo.

A votação expressiva de Eduardo Bolsonaro superou os recordes registrados por Enéas Carneiro em 2002, quando o político do Prona, morto em 2007, registrou 1,5 milhão de votos, mesmo número obtido na última eleição por Celso Russomanno (PRB), o campeão de votos em 2014 - neste ano ele foi o terceiro mais votado, com 512 mil votos. Em 2010, a maior votação registrada foi a de Tiririca (PR), em sua estreia na política, com 1,3 milhão - ontem, ele obteve a quinta maior votação, com 445 mil votos.

A votação do filho de Bolsonaro deve alavancar uma grande bancada do PSL na Câmara dos Deputados, que hoje tem oito deputados. Mas ele não foi o único puxador de votos da legenda, considerada nanica até este ano. A jornalista e comentarista Joice Hasselmann (PSL) foi a segunda mais votada por São Paulo, com pouco mais de 1 milhão de votos. Kim Kataguiri, um dos coordenadores do Movimento Brasil Livre (MBL), grupo que atuou pelo impeachment de Dilma, foi o quarto mais votado, com 458 mil votos.

Alesp 

O perfil de campeões de votos na Câmara dos Deputados em São Paulo se repetiu na Assembleia Legislativa. Além de Janaina Paschoal, que teve seis vezes mais votos do que o Fernando Capez (PSDB), o mais votado em 2014, o ativista de direita Arthur do Val (DEM), conhecido como Mamãe Falei, foi o segundo mais votado, com 470 mil votos.

Uma das autores do pedido de impeachment de Dilma, Janaina é advogada e professora da Universidade de São Paulo (USP) e chegou a ser cotada para ser vice na chapa presidencial de Bolsonaro, mas declinou do convite alegando motivos pessoais. Entre os cinco mais votados aparece ainda Gil Diniz (PSL), conhecido como Carteiro Reaça e apoiador de Bolsonaro nas redes sociais.

O terceiro mais votado foi o deputado Carlos Giannazi (PSOL), com 126 mil votos, seguido pelo Coronel Telhada (PP), com 211 mil votos. Pela primeira vez desde 1998, o PSDB não tem nenhum deputado entre os cinco mais votados. O melhor tucano foi o atual presidente da Alesp, Cauê Macris, com 113 mil votos, a 19.ª maior votação. Já o melhor desempenho nas urnas de um petista foi registrado pelo deputado Barba, com 90 mil votos. Caio França (PSB), filho do governador Márcio França (PSB), foi o nono mais votado, com 149 mil votos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.