Reprodução/ Instagram
Reprodução/ Instagram

Após diagnóstico de covid-19, Boulos apresenta sintomas da doença

Candidato do PSOL sentiu febre, dificuldade respiratória e recebeu visita médica; postulante à Prefeitura vira alvo nas redes sociais

Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2020 | 15h37
Atualizado 28 de novembro de 2020 | 20h29

Um dia depois de ser diagnosticado com covid-19 e entrar em isolamento o candidato do PSOL à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos, apresentou os primeiros sintomas da doença. Ao longo de todo dia o candidato tem sido alvo de críticas nas redes sociais por ter mantido agendas presenciais mesmo depois de saber que a deputada Sâmia Bonfim, com quem esteve na sexta-feira passada, havia sido contaminada. 

Em transmissão ao vivo feito por suas redes sociais no início da tarde de sábado, Boulos relatou os primeiros sintomas da doença. “Até ontem eu estava assintomático e hoje de manhã tive alguns sintomas leves, um pouquinho de febre, dificuldade respiratória, dor no corpo”, disse o candidato. 

Ele recebeu uma visita médica do infectologista Esper Kallas. A campanha disse que o especialista afirmou que o candidato “atestou sintomas brandos de covid-19, incluindo cansaço leve e dor no corpo”. De acordo com a nota, “Boulos segue em bom estado de saúde e seguirá sob observação médica”.

Neste sábado dois tópicos ligados à doença de Boulos ficaram entre os mais comentados no Twitter. O primeiro é #irresponsavel e vincula postagens críticas ao comportamento do candidato que manteve diversas agendas presenciais, algumas sem distanciamento social, mesmo depois de saber que Sâmia havia sido diagnosticada com o novo coronavírus.

O segundo tópico é #boulosgenocida pelo qual defensores de Jair Bolsonaro aproveitam o termo usado pela oposição para se referir à atuação do presidente durante a pandemia para igualar o comportamento dos dois e atacar o candidato do PSOL.

Nesta quinta-feira, o coordenador da campanha de Boulos, Josué Rocha, que é médico, disse que as precauções foram além do protocolo do Ministério da Saúde que prevê isolamento só em caso de contato frequente residencial e realização de exame apenas para quem apresenta sintomas da doença. 

Neste sábado, em nota, a campanha do candidato criticou o que considera uso político do fato de o Boulos ter contraído a covid-19. “É lamentável que nossos adversários se aproveitem do estado de saúde de Guilherme Boulos para atacá-lo nas redes sociais.” 

Na transmissão ao vivo, Boulos tentou manter o “sentimento de alegria” que marcou a propaganda da campanha. Enquanto apoiadores participam de uma série de carreatas pela cidade, o candidato disse que “me angustia não poder estar na rua neste momento” e aconselha: “se cuidem mais do que nunca, se protejam”.

Apesar das críticas recebidas nas redes, Boulos aproveitou o tema para voltar a criticar a postura do adversário, o prefeito Bruno Covas (PSDB), e o do governador, João Doria (PSDB), neste momento da pandemia.

“Essa é uma das diferenças que temos com nossos adversários que em um momento tão grave, com indícios de uma onda na cidade de São Paulo, preferem se omitir”, disse o candidato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.