STF já contabiliza 157 infectados com covid-19

STF já contabiliza 157 infectados com covid-19

De acordo com o tribunal, os servidores que atuaram na organização da posse do presidente Luiz Fux estão sendo testados para saber se contraíram a doença. Supremo diz que implementou todos os protocolos de prevenção na cerimônia

Rafael Moraes Moura

16 de setembro de 2020 | 20h30

A estátua da Justiça, em frente ao Supremo Tribunal Federal. Foto: Dida Sampaio / Estadão

O Supremo Tribunal Federal (STF) informou nesta quarta-feira (16) ao Estadão/Broadcast que, desde o início da pandemia, 157 trabalhadores foram infectados pelo novo coronavírus, entre servidores, colaboradores e estagiários. De acordo com o tribunal, os servidores que atuaram na organização da posse do presidente Luiz Fux, na última quinta-feira, estão sendo testados para saber se contraíram a doença.

Inicialmente, a Corte havia comunicado à reportagem um número de 168 pessoas infectadas, mas a informação foi corrigida pelo tribunal depois.

Até agora, um total de seis autoridades que acompanharam a cerimônia testaram positivo para covid-19: Fux; o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ); os ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Luis Felipe Salomão e Antonio Saldanha Palheiro; a presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Maria Cristina Peduzzi; e o procurador-geral da República, Augusto Aras.

Fux tomou posse na última quinta-feira (10), em uma cerimônia enxuta, com cerca de 50 convidados, por causa das restrições impostas pela pandemia do coronavírus.  “Marcaram a posse presencial sem consultar os integrantes. Ponderei ao (então) presidente Dias Toffoli que, por mim, seria por videoconferência. Fui porque tinha que falar em nome do tribunal. Não fosse isso não teria ido”, disse ao Estadão o ministro Marco Aurélio Mello, que fez uma homenagem a Fux durante a cerimônia.

“Mesmo assim não me juntei aos demais e convidados de honra na sala de lanches e entrei no plenário, por último, e pela outra porta, saindo direto para pegar o carro oficial”, acrescentou Marco Aurélio. O ministro disse que não fez exame de covid-19.

O cerimonial do STF colocou placas de acrílico entre as cadeiras dos ministros, em um esforço para reduzir riscos e proteger as autoridades da disseminação do vírus. Na lista de autoridades que acompanharam pessoalmente a solenidade estavam Maia, o presidente Jair Bolsonaro e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), além de integrantes do Supremo e tribunais superiores.

Protocolos. De acordo com a assessoria do STF, para a cerimônia de posse, o tribunal “implementou todos os protocolos de prevenção da covid recomendados pela Organização Mundial da Saúde, Ministério da Saúde e da Secretaria de Serviços Integrados de Saúde”.

“Entre os quais 1) uso obrigatório de máscara; 2) aferição de temperatura de todos os profissionais escalados nas equipes de trabalho, bem como de todos os convidado; 3) álcool gel para disposição na mesa de honra, nas mesas de credenciamento e em diversos pontos de atendimento de equipes de trabalho; 4) totens de álcool gel, com pedal, para uso dos convidados e servidores; 5) adesivos indicativos do distanciamento seguro”, informou o STF.

“Nesta semana, a Secretaria solicitou os testes, mas não há, até o momento, registro de diagnóstico positivo (entre os servidores que atuaram na posse). Se houver, aplica-se o protocolo já vigente no Tribunal, que recomenda o isolamento social.”

Questionado se foi providenciada alguma limpeza especial do plenário após a cerimônia de posse, o STF alegou que a “limpeza padrão que é executada no STF já é suficiente para eliminar eventuais focos de contaminação”.

Tudo o que sabemos sobre:

STFLuiz Fux

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: