‘Só tenho a reformar minha cabeça’, diz FHC a Moro

‘Só tenho a reformar minha cabeça’, diz FHC a Moro

Juiz federal Sérgio Moro questionou ex-presidente tucano se já recebeu 'por fora' por meio de 'reforma de algum imóvel'

Luiz Vassallo, Ricardo Brandt e Fausto Macedo

11 Junho 2018 | 14h45

Fernando Henrique Cardoso. Foto: Everson Oliveira/Estadão

Testemunha do ex-presidente Lula no caso envolvendo obras no Sítio Santa Bárbara, Fernando Henrique Cardoso (PSDB) foi questionado pelo juiz federal Sérgio Moro se já ‘recebeu por fora’, ou por meio de ‘reformas’ em algum de seus imóveis por suas palestras.

+ Moro retoma audiências e Okamotto diz que Lula queria comprar sítio de Atibaia para Marisa

O tucano falou por videoconferência ao juiz federal Sérgio Moro no âmbito da ação em que o petista é réu por supostas propinas de R$ 1 milhão da OAS, Odebrecht e Schahin. O valor é referente a reformas supostamente custeadas pelas empreiteiras no Sítio Santa Bárbara, em Atibaia.

+ Toffoli mantém ação de Lula sobre sítio nas mãos de Moro

Os proprietários do imóvel são o filho do ex-prefeito de Campinas, Fernando Bittar, e Jonas Suassuna. Segundo a força-tarefa da Operação Lava Jato, Lula seria beneficiário das reformas. O ex-presidente nega.

+ Os 9 elementos que ligam Lula ao sítio de Atibaia

Enquanto testemunha de defesa de Lula, FHC foi questionado pelos advogados do petista sobre como recebe por suas palestras e como se dá a prestação de contas de seu Instituto.

Ele disse que é ‘tudo declarado e normal’. “Deus me livre que não seja”.

Em meio à audiência, o ex-presidente também foi questionado pelo juiz da Lava Jato sobre como era pago pelas palestras e outros trabalhos. “Alguma empresa reformou alguma propriedade que utilizava por fora, em reforma, algo assim?”

“Isso é feito através de um agente que faz o contrato e eu usualmente não conheço os donos ou representantes da empresa. Vou conhecer eles na hora. Nunca, jamais, nada disso, nem por fora, nem participar de nenhum momento de reforma. Eu não tenho muita coisa a reformar, só minha cabeça mesmo.

Mais conteúdo sobre:

Fernando Henrique Cardoso