Procuradoria fará acareação entre Flávio Bolsonaro e Paulo Marinho em 21 de setembro

Procuradoria fará acareação entre Flávio Bolsonaro e Paulo Marinho em 21 de setembro

Reunião vai confrontar versões do senador e do empresário sobre o suposto vazamento da Operação Furna da Onça, que revelou movimentações financeiras suspeitas do ex-assessor Fabrício Queiroz

Fábio Grellet/RIO

19 de agosto de 2020 | 10h54

O senador Flávio Bolsonaro e o empresário Paulo Marinho. Fotos: Werther Santana e Dida Sampaio / Estadão

O Ministério Público Federal (MPF) agendou para o dia 21 de setembro uma acareação entre o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e o empresário Paulo Marinho. Ela deve ser conduzida pelo procurador da República Eduardo Benones.

A acareação (reunião para confrontar versões) faz parte da investigação sobre o suposto vazamento da Operação Furna da Onça, realizada no final de 2018. Marinho, que era aliado e é suplente de Flávio Bolsonaro, afirma que um delegado da Polícia Federal antecipou ao então deputado estadual do Rio de Janeiro que a operação seria realizada. Flávio Bolsonaro nega.

Durante essa operação foi detectada movimentação suspeita de dinheiro por Fabrício Queiroz, ex-assessor parlamentar de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio, e começou a investigação sobre a suposta ‘rachadinha’ – devolução do dinheiro de salários no gabinete de Flávio. Queiroz cumpre prisão domiciliar por conta dessa investigação.

Em nota divulgada na noite desta terça-feira, a defesa de Flávio Bolsonaro informou que até então não havia sido intimada sobre o agendamento da acareação. A defesa também ressaltou que os parlamentares federais, como o senador, têm a prerrogativa legal de ajustar dia e hora da realização de depoimentos, conforme sua conveniência.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: