PF identifica ‘aumento significativo’ de ameaças cibernéticas na crise do coronavírus e alerta: ‘Verifique e se proteja’

PF identifica ‘aumento significativo’ de ameaças cibernéticas na crise do coronavírus e alerta: ‘Verifique e se proteja’

Corporação identificou diferentes tipos de fraudes e campanhas falsas para obter dados bancários e informações pessoais durante a pandemia da Covid-19

Redação

08 de abril de 2020 | 12h20

Foto: Divulgação/Agência Brasil

A Polícia Federal informou ter detectado um aumento significativo de ameças cibernéticas durante a crise do coronavírus. Uma das investigações da corporação já identificou a invasão de 141 dispositivos eletrônicos, como câmeras e babás eletrônicas, das casas de famílias de 35 cidades. A PF alerta ainda que ‘criminosos utilizam campanhas falsas para obter dados bancários e informações pessoais para o cometimento de crimes cibernéticos’.

As campanhas falsas são realizadas por diferentes meios como e-mails, links, mensagens por aplicativos, ligações telefônicas e outros canais, indica a corporação. “Não seja vítima de fraudes! Verique a origem e se proteja”, alerta a corporação.

A PF recomenda que a população busca informações sobre as ações federais em canais oficiais e ainda emitiu orientações básicas quanto aos principais golpes identificados. Confira:

  • Links: não clique em links enviados por e-mail, SMS ou aplicativos de mensagens em nome de instituições bancárias, não preencha dados de cartões de crédito em formulários e nem informe dados de cartões de crédito e senha em ligações telefônicas. Procure as informações junto ao seu banco nos canais oficiais.
  • Boleto falsificado: Códigos de barras podem ser facilmente alterados. Fiquem atentos ao nome da empresa e valor do pagamento. Qualquer dúvida, entre em contato com o credor e emissor do boleto ou com a sua instituição bancária.
  • Empréstimos: Se aproveitando do momento de dificuldades financeiras, golpistas oferecem facilidades em refinanciamento de dívidas e empréstimos consignados. Desconfie das ofertas de dinheiro fácil.
    Golpes usando o Whatsapp: solicitações de empréstimos e transferências oriundas de contatos no Whatsapp podem ser golpes. Ligue para o seu contato e confirme a solicitação.
  • Voucher auxílio emergencial: diversas mensagens disparadas por meio de aplicativos como Whatsapp, SMS, e-mails e até telefonemas têm solicitado informações para cadastro dos beneficiários do auxílio emergencial aprovado pelo Governo Federal. Não informe os seus dados nesse tipo de mensagem.
  • Campanhas de doação: Em momentos de crise é muito comum surgirem campanhas de doação de todos os tipos. Certifique-se de que as pessoas/instituições por trás da campanha existem e são realmente sérias. Procurem informações nos canais oficiais das empresas.

Tudo o que sabemos sobre:

coronavírusPolícia Federal

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.