O triplex e o sítio ficam em São Paulo, afirma Doria, ao condecorar Moro com Ordem do Ipiranga

O triplex e o sítio ficam em São Paulo, afirma Doria, ao condecorar Moro com Ordem do Ipiranga

Governador entregou ao ministro da Justiça e Segurança Pública medalha Ordem do Ipiranga - condecoração tem como finalidade agradecer e homenagear brasileiros e estrangeiros por seus méritos e contribuições para o Estado

Pedro Venceslau, Mateus Fagundes e Luiz Vassallo

28 de junho de 2019 | 15h37

Reprodução

O governador de São Paulo João Doria (PSDB) entregou ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, com a medalha Ordem do Ipiranga, no Palácio dos Bandeirantes, nesta sexta-feira, 28. Condecoração tem como finalidade agradecer e homenagear brasileiros e estrangeiros por seus méritos e contribuições para o Estado de São Paulo.

Em uma cerimônia que reuniu secretários e aliados de Doria, Moro recebeu a medalha da Ordem do Ipiranga após o governador fazer um discurso em defesa da Lava – Jato e com duros ataques ao PT. De acordo com ele, o Brasil precisa de “mais Moros e menos Lulas”. “Nós não podemos aceitar ou admitir a tentativa de fazer o Brasil retroceder”, comentou o tucano, em outro momento.

FOTO TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

“É preciso deixar claro que foram os governos petistas que ajudaram e contribuíram para assaltar os cofres públicos e roubar a consciência dos brasileiros. O Brasil precisa de mais Moros e menos Lulas”, disse o governador.

Na cerimônia, o governador afirmou que, ‘se não fosse por Moro’ e por um ‘grupo de patriotas’, não haveria a Operação Lava Jato.

“Não teríamos trancafiados em prisões aqueles que usurparam, roubaram e enganaram os brasileiros. Inclusive, em São Paulo. Haja vista, que se houver dúvidas, que o triplex é em São Paulo. O sítio também é em São Paulo. Ó início de um esquema criminoso começou em São Paulo. A honraria se dá por aquilo que o ministro, como ministro, realizou pela segurança do Estado e também pela dignidade que este homem patriota deu ao nosso país de implementar a Operação Lava Jato”, afirmou.

Homenageado, o ministro da Justiça comentou as mensagens entre ele e os procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato pelo site The Intercept. Moro disse que ‘às vezes, um revanchismo reaparece’. “Nas últimas três semanas, uma historia longa, conhecida, tenho sofrido vários ataques, achei que a Operação Lava Jato tivesse ficado para trás, estamos em uma nova fase”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.