Ministro do TSE defende resposta célere sobre candidatura de Lula

Ministro do TSE defende resposta célere sobre candidatura de Lula

Para Tarcísio Vieira, 'calendário apertado' exige definição rápida sobre situação do ex-presidente, que deve ter nome registrado nesta quarta-feira, 15, para concorrer ao Planalto

Rafael Moraes Moura, Amanda Pupo e Felipe Frazão / BRASÍLIA

15 de agosto de 2018 | 00h30

Ministro do TSE Tarcisio Vieira. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

O ministro Tarcísio Vieira, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), defendeu nesta terça-feira, 14, uma resposta célere da Corte Eleitoral sobre o registro da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), condenado e preso na Lava Jato, ao Palácio do Planalto.

Indagado pelo Estadão/Broadcast se seria importante uma definição rápida sobre a situação do petista, Vieira respondeu: “Sem dúvida, sempre. Em nome da própria celeridade que a eleição exige. O calendário é muito apertado”.

Sem citar Lula, a nova presidente do TSE, ministra Rosa Weber, afirmou nesta terça que um candidato pode ter o registro indeferido “de ofício”, sem provocação do Ministério Público, candidatos ou partidos, se não possuir condição de elegibilidade.

Nesta quarta-feira, 15, último dia do prazo fixado no calendário eleitoral, o PT deve formalizar no TSE a candidatura de Lula à Presidência.

“Em princípio, é um processo relevante, que segue a lógica de outros processos. A voz do plenário que é a voz definitiva, sem dúvida nenhuma”, disse Tarcísio.

Estratégia. Conforme mostrou nesta quarta-feira o Estado, o PT joga com o tempo e avalia uma ofensiva jurídica simultânea no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar afastar a inelegibilidade de Lula durante a tramitação do pedido formal de candidatura no TSE.

O objetivo é garantir a presença de Lula no horário eleitoral gratuito, previsto para começar dia 31 de agosto, em rede nacional de rádio e televisão.

Tendências: