Leia a decisão que prende executivos do Grupo Petropolis por lavagem de R$ 329 mi para a Odebrecht

Leia a decisão que prende executivos do Grupo Petropolis por lavagem de R$ 329 mi para a Odebrecht

Segundo o Ministério Público Federal no Paraná, o Grupo disponibilizou pelo menos R$ 208 milhões em espécie à Odebrecht no Brasil entre 2007 e 2011 e repassou R$ 121.581.164,36 em propinas da construtora disfarçadas de doações eleitorais

Pepita Ortega, Luiz Vassallo e Fausto Macedo

31 de julho de 2019 | 12h38

O envolvimento de Walter Faria e outros cinco executivos do Grupo Petrópolis na lavagem de dinheiro desviado pela Odebrecht é investigado pela Operação ‘Rock City’, 62ª fase da Lava Jato deflagrada nesta quarta, 31. Segundo o Ministério Público Federal no Paraná, o Grupo disponibilizou pelo menos R$ 208 milhões em espécie à Odebrecht no Brasil entre 2007 e 2011 e repassou R$ 121.581.164,36 em propinas da construtora disfarçadas de doações eleitorais.

A Lava Jato 62 foi deflagrada após decisão da juíza federal substituta Gabriela Hardt, da 13ª Vara Federal do Paraná.

Documento

Tendências: