‘É fotografado, filmado, e diz que está sendo perseguido’

‘É fotografado, filmado, e diz que está sendo perseguido’

Ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, disse, durante evento do 'Estado', que ninguém assume culpa no Brasil e todo mundo ainda alega ser perseguido pela Justiça

Altamiro Silva Junior, Mateus Fagundes, Daniel Weterman e André Ítalo Rocha

01 de abril de 2019 | 11h17

SÃO PAULO – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, afirmou hoje que ninguém assume culpa no Brasil e todo mundo diz que é perseguido pela Justiça. “O arrependimento sincero é o pressuposto da salvação. Eles não se arrependem. O sujeito é fotografado, filmado e diz que está sendo perseguido”, afirmou ao participar do evento “Estadão Discute Corrupção“, realizado na sede do jornal O Estado de S.Paulo em parceria com o Centro de Debate de Políticas Públicas (CDPP) e a editora Companhia das Letras para discutir as operações Lava Jato e Mãos Limpas.

Para Barroso, a Lava Jato deixou de ser uma “operação” e passou a ser uma “atitude, um símbolo da não aceitação do inaceitável”. “Me impressiona políticos que não se arrependem, se veem como perseguidos”, afirmou em suas considerações finais.

“Ninguém assume culpa. Ninguém pede desculpas. Ninguém se arrepende de coisa alguma. Todo mundo diz que está sendo perseguido. Não aconteceu corrupção no Brasil. Pois bem, não terão salvação. Em todas as culturas religiosas o arrependimento sincero é o pressuposto da salvação. Eles não se arrependem…“, diz Barroso.

“Esta é uma das coisas que mais me impressiona no Brasil. É fotografo, filmado. E diz que está sendo perseguido, é uma conspiração. A despeito disso, eu penso que o trem já saiu da estação. A Lava Jato deixou de ser operação, passou a ser uma atitude, um símbolo que representa a não-aceitação do inaceitável. Estamos do lado certo da história“.

Tudo o que sabemos sobre:

Luis Roberto Barrosooperação Lava Jato

Tendências: