Augusto Nunes e Glenn Greenwald brigam no ‘Pânico’; assista

Augusto Nunes e Glenn Greenwald brigam no ‘Pânico’; assista

Durante o programa nesta quinta, 7, na Jovem Pan, em São Paulo, apresentador e jornalista do The Intercept se desentenderam

Pedro Prata

07 de novembro de 2019 | 13h29

O jornalista Augusto Nunes acertou um tapa com a mão esquerda no rosto de Glenn Greenwald durante o programa ‘Pânico na Rádio‘, da Jovem Pan, desta quinta, 7. Greenwald também investiu contra Nunes. O desentendimento ocorreu quando o jornalista do site The Intercept Brasil chamou o apresentador de ‘covarde’ por ter comentado sobre o modo como ele e o marido, o deputado David Miranda (PSOLRJ), cuidam de seus filhos.

Foto: Pânico na Rádio/Reprodução

Após o entrevero, o programa foi suspenso durante alguns minutos.

Por meio de nota, a rádio Jovem Pan repudiou ‘com veemência esses comportamentos’ e disse que ‘a liberdade de expressão e crítica concedida pela Jovem Pan a seus comentaristas e convidados, contudo, não se estende a nenhum tipo de ofensas e agressões’.

 

ACOMPANHE:

Augusto Nunes: Essa é a prova de que o Brasil criou um faroeste à brasileira. Quem comete crimes e tem que se explicar fica cobrando quem age honestamente. Ouça o que eu disse, Glenn… Primeiro vocês vão perceber que ele ainda não sabe identificar ironias, não sabe identificar um ataque bem humorado. Eu convido ele a provar em que momento eu pedi que algum juizado fizesse isso. Eu disse apenas que o companheiro dele passa o tempo em Brasília, ele passa o tempo todo lidando com material roubado. E eu ia falar: ‘Quem é que vai cuidar dos filhos?’ Só isso.

Glenn Greenwald: Você é um covarde, covarde!

Augusto Nunes: Não fala covarde.

Glenn Greenwald: Você é um covarde. Vou falar porque você é um covarde.

Augusto Nunes: Não fala covarde.

Glenn Greenwald: Você é um covarde.

Augusto Nunes: Se você falar covarde…

Glenn Greenwald: Vou falar porque você é um covarde.

Augusto Nunes: Vou te mostrar quem é covarde, tudo bem?

(neste momento, Nunes acerta um tapa com a mão esquerda no rosto de Glenn Greenwald)

Augusto Nunes: Eu te mostro quem tem coragem. Eu te mostro!

Glenn Greenwald: Seu covarde!

Augusto Nunes: Covarde, mas apanhou na cara.

Quando Augusto Nunes diz que Glenn Greenwald ‘lida com material roubado’, ele se referia às matérias publicadas pelo site The Intercept Brasil sobre o conteúdo de mensagens enviadas pelo atual ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) no aplicativo Telegram.

A Operação Spoofing, deflagrada pela Polícia Federal, prendeu hacker que confirmou ter dado ao site acesso às conversas. O The Intercept Brasil disse não comenta sobre suas fontes.

Glenn no Twitter

Em vídeo publicado nas redes na tarde desta quinta, Glenn Greenwald conta que estava irritado com uma fala de Augusto Nunes no começo de setembro na qual ele diz que ‘um juiz de menores deveria investigar nossa família para determinar se nossos filhos deveriam ser removidos e devolvidos para o abrigo’.

Glenn disse que essa foi a coisa mais ‘feia e suja’ que aconteceu em sua carreira de jornalista. “Isso é a coisa mais feia porque todas pessoas decentes sabem que você não usa filhos menores contra a pessoa na política.”

Ele também criticou o ‘uso da violência e força física no debate político’. “Eu acredito em dialogar com pessoas de ideologia diferente, por isso aceitei ir até a Jovem Pan. Mas esse princípio que eles apoiam, que é justificável usar a violência, pode facilmente ir para as ruas ou para o debate político, e isso é muito grave mesmo.”

Augusto no Twitter

“Já no início do programa Pânico desta quinta-feira, 7 de novembro, o convidado Glenn Greenwald voltou a acusar-me de ter recomendado à Justiça, num comentário em os Pingos nos Is, que lhe retirasse a guarda dos dois filhos. E pela terceira vez, agora pessoalmente, qualificou-me de “covarde”.

Em resposta, expliquei que ele não havia compreendido que meu comentário fora apenas uma ironia. Lembrei também a Glenn a gravidade da ofensa com que me atingira. Alheio aos sucessivos pedidos que lhe fiz, ele repetiu cinco vezes o insulto. “Covarde! Você é covarde!”

Até pensei em abandonar o estúdio. Mas entendi que essa atitude confirmaria o teor das agressões verbais que sofrera. E não resisti ao que me sugeriam a voz dos instintos e honra ferida.

Desde o começo da minha carreira pratico e recomendo que todos pratiquem o convívio dos contrários. Neste 5 de novembro, ao receber o Prêmio Comunique-se, reiterei a disposição de lutar para que seja encerrada a versão política do Fla-Flu que ocorre no brasil há alguns anos.

Lamento o ocorrido. E peço aos ouvintes, espectadores e leitores que evitem traduzir em atos físicos quaisquer discordâncias políticas, e mesmo a indignação provocada por insolências inaceitáveis.

Como disse na festa de premiação do Comunique-se, no meu mundo sempre será possível torcer pelo Fluminense no meio da torcida do Flamengo. Sem ofensas aos torcedores adversários.”

COM A PALAVRA, A JOVEM PAN

“A Jovem Pan lamenta o episódio ocorrido ao vivo no programa Pânico desta quinta-feira (7) entre os jornalistas Augusto Nunes e Glenn Greenwald.

Defensora vigilante dos princípios democráticos, do pluralismo de ideias e da liberdade de expressão, a Jovem Pan sempre abriu suas portas para convidados de diferentes campos ideológicos e com opiniões dissonantes, para que cada brasileiro forme seu juízo tendo acesso a visões variadas sobre os temas mais relevantes do momento.

Uma das principais marcas do Pânico é receber personalidades para o debate aberto e franco, bem-humorado e eventualmente ácido. Glenn Greenwald já participou da bancada em diversas outras oportunidades.

A liberdade de expressão e crítica concedida pela Jovem Pan a seus comentaristas e convidados, contudo, não se estende a nenhum tipo de ofensas e agressões. A empresa repudia com veemência esses comportamentos.”

Tendências: