The Intercept Brasil diz não comentar sobre suas fontes

The Intercept Brasil diz não comentar sobre suas fontes

Comunicado afirma que tentativa de ligar supostos hackers ao site 'é mais uma etapa dos constantes ataques' direcionados ao veículo

Redação

25 de julho de 2019 | 05h01

O jornalista Glenn Greenwald. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

O site The Intercept Brasil afirmou, em nota, que, “assim como a melhor imprensa mundial, não comenta assuntos relacionados à identidade de suas fontes anônimas”.

Preso, hacker disse à polícia que deu ao site acesso a conversas do ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro.

O comunicado diz ainda que a “tentativa de ligar supostos hackers ao Intercept Brasil é mais uma etapa dos constantes ataques aos quais nossa redação tem sido submetida” desde o início da publicação da série “As mensagens secretas da Lava Jato”, em 9 de junho. “Trata-se de um claro ataque à liberdade de imprensa”, afirma a nota.

Segundo o site, a Operação Spoonfing, deflagrada pela Polícia Federal, “não muda o fato de que a Constituição Federal garante o direito do Intercept de publicar suas reportagens e manter o sigilo da fonte, mesmo direito garantido para toda a imprensa brasileira”.

“O Intercept Brasil vê com preocupação as conclusões precipitadas do ministro Sérgio Moro sobre uma investigação que sequer teve seu inquérito concluído. Esperamos que a Polícia Federal, comandada por Moro, tenha autonomia para conduzir uma investigação isenta.”

Ao Supremo Tribunal Federal, Moro disse desconhecer “qualquer investigação em andamento a respeito” do jornalista Glenn Greenwald, editor do The Intercept Brasil.

Tendências: