Vídeo de investigação sobre fraude fiscal não é relacionado com pandemia de covid-19

Vídeo de investigação sobre fraude fiscal não é relacionado com pandemia de covid-19

Imagens de apreensão de maços de dinheiro circulam fora de contexto nas redes sociais

Pedro Prata

27 de outubro de 2020 | 19h18

Um vídeo que mostra a apreensão de maços de dinheiro em uma operação contra sonegação fiscal viralizou fora de contexto nas redes sociais. “R$ 8 milhões, desviados dos medicamentos para a o tratamento da covid-19”, diz uma postagem compartilhada no Facebook ao menos 151 mil vezes em outubro. Na realidade, a investigação que resultou na apreensão começou em 2013.

Trata-se da segunda fase da Operação Monte Cristo, deflagrada em 1º de outubro deste ano pelo Ministério Público de São Paulo em parceria com a Secretaria de Estado da Fazenda, Procuradoria-Geral do Estado e Receita Federal. A ação focou em um esquema de fraudes fiscais bilionárias operacionalizado por empresas do ramo farmacêutico.

Foto: Reprodução

As investigações começaram em 2013 e resultaram em uma primeira fase ostensiva, em 2017. Portanto, é equivocado afirmar que o dinheiro mostrado no vídeo seria proveniente de medicamentos para a covid-19, como é dito no post analisado.

Na primeira fase, a Promotoria identificou parte de um grupo que atuava na região do Vale do Paraíba e litoral Norte e Sul paulista. Alguns dos alvos fecharam acordos de colaboração premiada, o que permitiu aos investigadores identificar uma rede de 100 empresas farmacêuticas envolvidas no esquema de sonegação.

O dinheiro que aparece no vídeo foi encontrado em Santana do Parnaíba na casa de um ex-sócio de uma das farmacêuticas investigadas. A contagem inicial apontava um montante de R$ 8 milhões, mas conferência posterior mostrou que na verdade eram R$ 9 milhões.

Tudo o que sabemos sobre:

fake news [notícias falsas]

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.