Notícia de que Jean Wyllys foi convidado para ser ministro da Educação de Haddad é falsa
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Notícia de que Jean Wyllys foi convidado para ser ministro da Educação de Haddad é falsa

Boato usa a marca do site G1, que jamais publicou a matéria

Estadão Verifica

24 Setembro 2018 | 15h10

checagem abaixo foi publicada pelo Projeto Comprova. A verificação foi realizada por uma equipe de jornalistas do Poder 360 e Gazeta Online. Outras redações concordaram com a checagem, no processo conhecido como “crosscheck”: Estadão, Jornal do Commercio, piauí, NSC Comunicação, Folha de S. Paulo, Gazeta Online, SBT, Correio do Povo e  UOL.

Projeto Comprova é uma coalizão de 24 veículos de mídia com o objetivo de combater a desinformação durante o período eleitoral. Você pode sugerir checagens por meio do número de WhatsApp (11) 97795-0022.

É falso o tweet que alega que o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) foi convidado para ser ministro da Educação num possível governo de Fernando Haddad, candidato à presidência da República pelo Partido dos Trabalhadores.

A postagem enganosa usa uma imagem manipulada do portal G1 com a seguinte manchete: “Jean Wyllys confirma convite de Haddad para ser Ministro da Educação em eventual governo do petista”. Isso é falso e a reportagem não foi publicada pelo site.

O texto da montagem foi feito com padrões de escrita diferentes daqueles usados pelo G1. As palavras “deputado” e “ministro”, por exemplo, foram grafadas com caixa alta. Quando não iniciam frases, o portal usa caixa baixa para elas — como neste exemplo. O portal também publicou um desmentido sobre a informação falsa que circula atrelada a sua marca.

Como o código fonte e os elementos do HTML das páginas de internet podem sempre ser acessados por meio dos próprios aplicativos de navegação (Google Chrome, Internet Explorer e Mozilla Firefox, por exemplo), é possível editar os textos que eles armazenam. No entanto, as alterações só ficam disponíveis para quem faz as edições. Logo, o texto alterado não é exibido para os demais internautas que acessam os sites.

Outra evidência de que a informação é falsa está no nome de quem é o responsável pela suposta reportagem. O jornalista que assina o texto é Bernardo Caram. A matéria falsa está datada de 20 de setembro de 2018. É verdade que Caram trabalhou no G1, mas entre outubro de 2016 e março de 2018. Atualmente ele é jornalista da Folha de S.Paulo, integrante do Comprova.

As assessorias de Fernando Haddad e de Jean Wyllys também negaram a informação.

O tweet falso foi publicado em 21 de setembro de 2018 pelo usuário @fabiopatriota10. Até a noite desta sexta-feira, 21 de setembro, a publicação teve 2,3 mil curtidas, 1,2 mil compartilhamentos e 297 comentários.