Montagem altera capa de revista para relacionar família Bolsonaro a caso de avião apreendido com cocaína
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Montagem altera capa de revista para relacionar família Bolsonaro a caso de avião apreendido com cocaína

Manipulação utiliza capa de novembro de 2018 sobre os filhos do presidente para dizer que clã sabia da existência da droga apreendida na Espanha

Paulo Roberto Netto

30 de junho de 2019 | 23h21

O presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto, em Brasília. Foto: Adriano Machado/Reuters

Uma montagem altera uma capa da revista Veja sobre a família Bolsonaro para afirmar que o clã sabia da existência dos 39 quilos de cocaína apreendidos no voo da Força Aérea Brasileira (FAB) na última terça-feira, 25. A droga foi encontrada na bagagem do sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues, detido na Espanha.

A imagem falsa utiliza a capa original da edição número 2609 da revista Veja, publicada em 21 de novembro de 2018, para adicionar a frase “Eles sabiam do pó”, logo abaixo da chamada “Os Bolsonaros”. Além da fonte gráfica ser diferente da utilizada pelo periódico, é possível notar sinais claros de manipulação de imagem (veja a comparação abaixo):

À esquerda, a capa adulterada da revista Veja. À direita, a capa original publicada em novembro de 2018

O texto que acompanha a capa original (“Quem são, o que pensam e o que farão no governo os filhos do presidente eleito”) é parcialmente ocultado com manchas brancas, assim como a legenda da foto da família, no canto inferior direito.

A edição original da Veja apresenta um perfil dos três filhos do então presidente eleito Jair Bolsonaro, Carlos, Eduardo e Flávio, e o que poderiam fazer no futuro governo do pai. A apreensão da droga ocorreu quase sete meses após a publicação da revista.

Este boato foi selecionado para checagem por meio da parceria entre o Estadão Verifica e o Facebook. Ouviu algum boato? Encaminhe para o WhatsApp do Estadão Verifica pelo telefone (11) 99263-7900.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.