Vídeo de ex-ministro da Suíça é de 2010 e não tem relação com o contexto político brasileiro

Vídeo de ex-ministro da Suíça é de 2010 e não tem relação com o contexto político brasileiro

Um vídeo de Hans-Rudolf Merz voltou a circular nas redes sociais com legendas em português incorretas

Projeto Comprova

22 de abril de 2022 | 10h55

Esta checagem foi produzida por jornalistas da coalizão do Comprova. Leia mais sobre nossa parceria aqui.

Conteúdo investigado: Trata-se de um vídeo de dois minutos que mostra o ex-ministro de Finanças da Suíça Hans-Rudolf Merz tendo um ataque de riso enquanto discursa no parlamento. A gravação é acompanhada de legendas em português que dão a entender que o político estaria debochando da política e das eleições brasileiras.

Onde foi publicado: TikTok e Facebook.

Conclusão do Comprova: Não é verdade que o ex-ministro Hans-Rudolf Merz riu ao falar sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante um discurso no parlamento suíço. O vídeo da fala do político foi gravado em 20 de setembro de 2010 e o ataque de riso ocorreu quando Merz falava sobre a burocracia para a importação de carnes temperadas. Na época, ele admitiu não ter entendido a linguagem empregada no texto.

O vídeo circula com legendas que alteram o contexto da fala do político pelo menos desde 2014. Em diferentes versões, o ex-ministro teria debochado de supostas promessas feitas pela ex-presidente Dilma Rousseff (PT) para a Copa do Mundo de 2014 e de um pedido feito pela deputada federal Gleisi Hoffmann (PT) para homenagear Lula.

Todos os acontecimentos do cenário político brasileiro falsamente associados à fala de Merz, no entanto, ocorreram anos depois da gravação do discurso do ex-ministro. Não há menção alguma ao nome de Lula ou qualquer tema envolvendo a política brasileira, como atesta o vídeo original e a transcrição da declaração, disponíveis no site do parlamento suíço.

O Comprova classifica como falso conteúdos inventados ou que tenham sofrido edições para mudar o seu significado original e divulgados de modo deliberado para espalhar uma falsidade.

Vídeo recebeu legenda falsa. Foto: Reprodução

Alcance da publicação: O Comprova investiga os conteúdos suspeitos de maior alcance nas redes sociais. No TikTok, o vídeo teve 88 mil visualizações, mais de 3 mil curtidas e compartilhamentos, e 497 comentários. No Facebook foram 22 mil visualizações, 109 curtidas e 37 comentários até o dia 20 de abril.

O que diz o autor da publicação: Ao Comprova, o autor do post no Facebook afirmou que sua conta foi hackeada e que conseguiu retomá-la apenas no dia 19 de abril. Como o TikTok não oferece opção para envio de mensagens e não há informações de contato no perfil, não foi possível conversar com o responsável pela postagem.

Como verificamos: Como as imagens do conteúdo verificado pelo Comprova circulam há vários anos e já foram alvo de outras checagens (Estadão VerificaFato ou FakeBoatos.orgAos FatosLupa e AFP Checamos), foi comprovado que se tratava de fato de um discurso do ex-ministro suíço Hans-Rudolf Merz, realizado em 2010.

A partir da análise do vídeo, o Comprova constatou que o idioma falado é alemão e que a gravação se refere a uma sessão do Conselho Federal da Suíça.

O Comprova também buscou reportagens jornalísticas (G1The GuardianBBC News) que trataram do tema na época, assim como o vídeo original do discurso no site do parlamento suíço.

Por fim, foram solicitados esclarecimentos aos responsáveis pelas publicações do vídeo no TikTok e no Facebook.

Verificação

Discurso de Hans-Rudolf Merz foi feito em 2010 no Parlamento da Suíça

A partir das verificações anteriores realizadas por outras agências de checagem, foi possível confirmar que o homem que aparece no vídeo é o ex-ministro do Departamento de Finanças da Suíça Hans-Rudolf Merz.

Na gravação, é possível ver duas palavras que indicam que o idioma falado pelo político é alemão, uma das línguas oficiais da Suíça (assim como o italiano e o francês) e que se tratava de uma sessão do Conselho Federal da Suíça.

Tagesschau” é o nome de um serviço de notícias de televisão nacional e internacional alemão produzido pela equipe editorial da ARD-aktuell. Já “Bundesrat” é uma palavra em alemão que significa “Conselho Federal”.

Na época do discurso, Merz era membro do Conselho Federal da Suíça, que é formado por sete chefes de departamentos do país. Quem elege os conselheiros é a Assembleia Federal (Parlamento).

As legendas

Assim como em outras versões do vídeo, as legendas em português que foram inseridas no conteúdo aqui verificado não têm relação com a fala original do político. Em nenhum momento o nome de Lula ou qualquer assunto referente à política brasileira são mencionados.

Além de não corresponderem ao discurso de Merz, as legendas também trazem informações mentirosas a respeito da atual composição do Supremo Tribunal Federal (STF)responsável por anular quatro processos movidos contra o ex-presidente Lula a partir das investigações da Operação Lava Jato.

Apenas três dos 11 magistrados que compõem o órgão foram indicados por Lula: Ricardo Lewandowski, Cármen Lúcia e Dias Toffoli.

As legendas colocadas no vídeo fazem menção às condenações sofridas por Lula no âmbito da Operação Lava Jato, investigação realizada na 13ª Vara da Justiça Federal do Paraná que tinha como juiz titular Sergio Moro e como coordenador dos procuradores do Ministério Público Federal Deltan Dallagnol.

O ex-presidente teve os quatro processos criminais da Operação Lava Jato anulados pelo STF em abril de 2021. Os ministros entenderam que era competência da Justiça Federal do DF julgar os processos, e não a do Paraná.

Com essa decisão, e a que declarava o ex-juiz Sergio Moro suspeito para julgar o caso, todos os processos foram reiniciados em outras varas da primeira instância, com nova fase de captação de provas, oitivas com testemunhas e defesa das partes envolvidas.

Em março deste ano, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) condenou o ex-procurador Deltan Dallagnol a indenizar Lula em R$ 75 mil. Os ministros entenderam que Dallagnol extrapolou os limites de sua função ao utilizar qualificações que feriam a honra do ex-presidente quando deu uma entrevista coletiva utilizando uma montagem com diversas acusações a Lula.

O discurso

A crise de riso durante o discurso de Merz no dia 20 de setembro de 2010 foi noticiada internacionalmente (G1The GuardianBBC News). Conforme as publicações dos veículos, o político admitiu ter achado engraçada a linguagem burocrática empregada no texto que falava sobre a importação de carnes.

O vídeo completo da declaração, assim como a transcrição da fala do ex-ministro, está disponível no site do parlamento suíço, em alemão.

Legenda: Transcrição do discurso de Merz no site do parlamento da Suíça. O trecho da fala que viralizou nas redes sociais está sublinhado em vermelho.

A partir de ferramentas e sites de tradução online como Happy Scribe e DeepL, o Comprova obteve o trecho do discurso de Merz que viralizou na internet.

“Seguindo a nota 6ª do capítulo 2 da CN, a Administração Aduaneira publicou adicionalmente (risos) as chamadas ‘Notas Explicativas sobre a Tarifa Aduaneira Suíça’ (muitos risos, aplausos). De acordo com estas explicações, certos produtos ainda são classificados no Capítulo 2 aos quais foram adicionados temperos durante o processo de fabricação, desde que o caráter de um produto deste Capítulo não seja alterado (por exemplo, Bündnerfleisch [um tipo de carne]), (muitos risos). Entretanto, a carne em que os temperos são distribuídos em todas as superfícies do produto e são visíveis a olho nu está excluída deste capítulo (risos).”

Quem é Hans-Rudolf Merz

Hans-Rudolf Merz é um político de 79 anos e antigo membro do Conselho Federal Suíço pelo Partido Liberal, o Free Democratic Party (FDP), em inglês. Ele foi eleito em 10 de dezembro de 2003 e renunciou um mês após o discurso sobre a importação de carnes viralizar na internet, em 31 de outubro de 2010, por motivos de saúde.

Doutor em Ciência Política pela Universidade São Galo, ou University of St. Gallen, Merz também foi presidente da Suíça em 2009 e chefe do Departamento Federal de Finanças do país entre 2004 e 2010.

Por que investigamos: O Comprova investiga conteúdos suspeitos que viralizaram nas redes sociais sobre a pandemia de covid-19, políticas públicas do governo federal e eleições presidenciais. O conteúdo analisado nesta checagem é prejudicial porque traz informações enganosas que envolvem um pré-candidato à presidência em 2022 e isso pode influenciar na escolha dos eleitores. É importante que a população decida sobre o voto com base em conteúdos verdadeiros, e não em mentiras.

Outras checagens sobre o tema: As mesmas imagens do ex-ministro circulam fora de contexto pelo menos desde 2014. Diversas agências de checagem como Estadão VerificaFato ou FakeBoatos.orgAos FatosLupa e AFP Checamos já desmentiram versões diferentes do vídeo que alegavam que o político estaria rindo do pedido de homenagem a Lula feito pela deputada federal Gleisi Hoffmann ou das supostas promessas feitas pela ex-presidente Dilma Rousseff para a Copa do Mundo realizada no Brasil em 2014.

Anteriormente, o Comprova já verificou conteúdos semelhantes, como os vídeos que mostram supostamente o presidente da Rússia, Vladimir Putin, atacando Jair Bolsonaro. As gravações, na verdade, são humorísticas.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.