Ex-presidente Lula está, sim, na capa da revista ‘Time’ de maio

Ex-presidente Lula está, sim, na capa da revista ‘Time’ de maio

Publicação americana tem mais de uma versão de capa; apoiadores do presidente Jair Bolsonaro enganam ao dizer que apenas capa com reportagem sobre emergência climática seria a verdadeira

Pedro Prata

20 de maio de 2022 | 16h58

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) estampa, sim, a capa da revista Time na edição da segunda quinzena de maio de 2022. Vídeos publicados nas redes sociais enganam ao dizer que a capa com o petista, noticiada por veículos de comunicação brasileiros, seria falsa. A revista foi publicada com três versões de primeira página e todas são autênticas.

As duas capas mostradas em vídeo viral são autênticas. Foto: Reprodução

Em 4 de maio, a Time antecipou no Twitter que a edição de 23 a 30 de maio traria uma entrevista com o ex-presidente Lula. “O mais popular de todos os presidentes brasileiros volta do exílio político com a promessa de salvar a nação”, dizia em inglês.

Uma semana depois, a revista revelou que uma outra versão da capa da mesma edição dá destaque para a emergência climática. “Depois de visitar os dois extremos da Terra, eu percebi o quão encrencados estamos”, diz o tuíte.

No site da Time, é possível comprar reproduções das capas para decoração. Ao selecionar o filtro “última edição”, é possível ver as duas versões citadas e ainda uma terceira, destacando o trabalho da jornalista ucraniana Olga Rudenko.

Uma porta-voz da Time disse ao Estadão Verifica que “a revista é publicada a cada duas semanas e é comum que uma mesma edição tenha mais de uma capa. A capa com o Lula é autêntica”. Ainda segundo a porta-voz, as duas capas foram distribuídas para bancas e assinantes em partes diferentes dos Estados Unidos.

A Agência Lupa também checou um conteúdo semelhante.


Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.