Imagem de mulher usando máscara em banho de mar é montagem
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Imagem de mulher usando máscara em banho de mar é montagem

Foto original é de 2015 e foi alterada digitalmente para incluir o equipamento de proteção

Alessandra Monnerat

11 de setembro de 2020 | 19h25

É montagem a foto de uma jovem usando máscara durante um banho de mar. A imagem foi alterada digitalmente para incluir o equipamento de proteção. A fotografia original é de 2015, feita por Vladimir Grigorev. No Facebook, a montagem foi compartilhada com a legenda: “quando você achar que é um idiota, olhe esta imagem”. As postagens com a foto adulterada obtiveram 1,2 mil compartilhamentos.

O Estadão Verifica encontrou a fotografia original por meio da ferramenta de busca reversa de imagem TinEye. O clique está disponível no site do Getty Images desde 2015. Também é possível conferir outras fotos da mesma modelo tomando banho de mar, sempre sem máscara.

Foto original no site Getty Images. Foto: Reprodução

Em 2020, o mesmo fotógrafo, Vladimir Grigorev, disponibilizou as montagens da jovem tomando banho de mar usando máscara em outro site de banco de imagens — Shutterstock. O equipamento de proteção também foi adicionado digitalmente em outras fotos da banhista.

Montagem no banco de imagens Shutterstock. Foto: Reprodução.

Não é recomendado usar a máscara no mar pois, uma vez molhada, ela perde a barreira de proteção. A Secretaria da Saúde de São Paulo recomenda trocar a máscara sempre que ela ficar úmida ou molhada.

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

 

Tudo o que sabemos sobre:

coronavírus [prevenção]

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: