Frase sobre ‘sociedade se distanciando da verdade’ não é de George Orwell

Frase sobre ‘sociedade se distanciando da verdade’ não é de George Orwell

Citação é uma das mais frequentemente atribuídas erroneamente ao autor britânico; pensamento é de escritor americano e foi publicada em 2009

Clarissa Pacheco

26 de janeiro de 2022 | 16h56

Mais uma frase nunca antes escrita ou dita pelo britânico George Orwell circula pelo Facebook em posts virais como se fosse de autoria do escritor. A citação da vez é: “Quanto mais a sociedade se distancia da verdade, mais ela odeia aqueles que a revelam”. No Facebook, um post com a frase junto a uma fotografia e o nome de Orwell acumulou mais de 6 mil interações em apenas quatro dias. Mas não é só na rede social que o pensamento aparece erroneamente atribuído ao escritor. Há dezenas de publicações no Twitter, Instagram e em sites que reúnem frases de outras personalidades dando erroneamente o crédito ao autor dos livros 1984 e A Revolução dos Bichos.

Em alguns sites, a frase é marcada como um trecho do livro 1984, uma das principais obras de George Orwell. Mas ela não está no livro. A citação também não aparece no acervo da University College of London, onde está a obra completa do autor. O Estadão Verifica consultou a professora Débora Tavares, doutora em Literatura Inglesa pela Universidade de São Paulo (USP) e especialista na obra do escritor. Ela confirmou que a frase não é dele.

“Essa é uma das frases que mais associam desonestamente ao Orwell”, explicou. “Geralmente, termos muito generalistas e universalistas quando associados ao Orwell são atribuições falsas à obra dele”.

Não é apenas em páginas em português que o pensamento circula como se fosse de Orwell. Em dezembro do ano passado, a agência Reuters desmentiu posts que atribuíam a frase em inglês ao escritor britânico: “The further a society drifts from the truth, the more it will hate those who speak it”.

A agência consultou a Orwell Society, sediada no Reino Unido, que negou que a frase fosse do escritor. Por e-mail, o jornalista Benedict Cooper, responsável pelo contato de mídia da organização, reforçou ao Estadão Verifica que a frase não é de Orwell. “Posso confirmar que esta não é uma citação de Orwell — é uma das muitas citações erradas ou atribuídas erroneamente a Orwell”, escreveu.

Citação é de escritor norte-americano que fez piada com a confusão

A citação, na verdade, é de um escritor freelancer norte-americano chamado Selwyn Duke, que a escreveu para um artigo opinativo publicado em 2009. Em 2016, ele publicou outro artigo falando sobre a disseminação da frase como se fosse de George Orwell.

No Twitter, Duke se define como “peregrino no orbe azul, rei filósofo, contador da verdade e o pior pesadelo dos esquerdistas”. Ele também tem um site onde publica seus artigos. Por e-mail, Duke confirmou ao Verifica que é o autor da frase.

“Sim, a frase é minha”, disse. “Eu escrevi em um artigo publicado em 6 de maio de 2009 intitulado ‘Stopping truth at the border: banning Michael Savage from Britain’”, disse. O artigo está disponível no site da Renew America, uma “organização de base que apoia as verdades auto evidentes encontradas na Declaração de Independência e sua aplicação fiel por meio da defesa da Constituição dos EUA, conforme escrita”. O lema da organização é: “A América deve retornar aos seus princípios fundadores se quiser sobreviver”.

A frase atribuída a Orwell está no último parágrafo do artigo. “Esta peça foi publicada em vários sites diferentes na época. Observe que a maneira como escrevi originalmente é: ‘Quanto mais uma sociedade se afasta da verdade, mais odiará aqueles que a falam’, o que é um pouco mais gramaticalmente correto”, diz Selwyn.

Também por e-mail, Selwyn escreveu que até se divertiu quando soube pela primeira vez da atribuição incorreta da frase dele a George Orwell. “Eu tinha aprendido muito antes que uma boa porcentagem das citações que circulam na Internet são atribuídas erroneamente, então também não fiquei surpreso. Na verdade, escrevi um artigo bem-humorado em 2016 sobre minha citação intitulado ‘George Orwell está roubando meu trabalho’”, disse.

Ele suspeita que citação tenha sido atribuída ao famoso escritor britânico porque o responsável por disseminar a falsa autoria acreditava que dar crédito a Orwell daria credibilidade à ideia. “Quanto ao motivo pelo qual continua a ser divulgado como o sendo de Orwell, já que soa como algo que ele teria escrito, é um erro natural”, disse. “Além disso, é difícil corrigir as coisas, em geral. Afinal, ‘uma mentira pode viajar meio mundo antes que a verdade possa calçar as botas’, como diz o ditado atribuído a Mark Twain. Exceto que Twain não disse isso”, completou.

O Verifica procurou os responsáveis pela página Antifeminismo, no Facebook, que publicou o post. Por chat, os donos da página disseram que não sabiam que a frase não era de George Orwell e que encontraram a imagem compartilhada em outra rede, o Pinterest. O material foi republicado porque os donos gostaram da frase. Eles apagaram a postagem posteriormente.

Mais frases erroneamente creditadas a Orwell

Não é incomum que frases sejam erroneamente atribuídas a George Orwell. Em outubro do ano passado, o Estadão Verifica publicou que não era dele a seguinte frase: “Para controlar um povo e tomar o poder, tem que conhecer seus medos, e o maior medo das pessoas é da morte. Quando se tornam escravos do medo, é fácil convencê-los que o Estado irá salvá-los”.

O escritor britânico também já recebeu crédito erroneamente por outra frase famosa: “Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade”. Ela é, na verdade, de William Randolph Hearst, jornalista americano.

Uma frase falsamente atribuída ao ator Morgan Freeman por pouco também não entrou para a lista das que seriam de George Orwell: “E se eu te dissesse que… televisão é o monstro da sua casa. E é chamado de programa por um motivo. Sua televisão nada mais é do que um dispositivo eletrônico que altera a mente. Ele foi projetado para mudar psicologicamente a maneira como você vê a realidade”.

No Facebook, comentários negavam que a frase fosse de Freeman, mas garantiam que ela fazia parte do livro 1984 – ou que estava no filme baseado na obra de Orwell -, o que também não é o caso.


Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.