Foto viral mostra prisão de ator acusado de assédio, e não de ‘chefe de campanha de Joe Biden’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Foto viral mostra prisão de ator acusado de assédio, e não de ‘chefe de campanha de Joe Biden’

Boato inventa detenção de funcionário democrata no Texas; homem mostrado na imagem é o vencedor do Oscar Cuba Gooding Jr.

Pedro Prata

18 de novembro de 2020 | 16h45

Um boato viral nas redes sociais inventa que o “chefe de campanha de Joe Biden“, chamado Dallas Jones, teria sido preso por fraudar votos no Texas. Na verdade, Jones — que não é “chefe de campanha” do democrata — foi mencionado em uma ação judicial movida por ativistas conservadores. Eles foram derrotados na Suprema Corte texana por falta de provas.

Além disso, a foto que acompanha a peça de desinformação é da prisão do ator Cuba Gooding Jr., não do funcionário da campanha democrata. Esse conteúdo foi compartilhado ao menos 1,2 mil vezes no Facebook e circula também no Twitter e no YouTube.

Homem na foto é o ator Cuba Gooding Jr., não funcionário da campanha democrata. Foto: Reprodução

Dallas Jones se apresenta como um ativista social em sua página na internet. Ele foi nomeado diretor político da campanha de Joe Biden e Kamala Harris no Texas. 

Jones é citado em uma ação de setembro, anterior às eleições, protocolada por Steve Hotze, um ativista conservador, segundo o jornal Texas Tribune. Apesar de citar Jones, o processo não é sobre ele. A ação questiona uma decisão de Christopher Hollins, responsável pelas eleições no condado de Harris, o mais populoso do Texas, de ampliar em seis dias a data inicial para votação antecipada no estado. Hotze também queria que o condado de Harris fosse obrigado a concentrar o recebimento de cédulas de votação em um único posto, não nas onze unidades utilizadas durante o período eleitoral.

Ação de Steve Hotze

No documento, o conservador afirma que detetives particulares e um ex-agente do FBI teriam identificado um suposto esquema ilegal de coleta e entrega de votos. A prática é permitida em alguns estados norte-americanos, mas é proibida no Texas, onde cada eleitor é responsável por entregar seu voto às autoridades eleitorais.

Segundo Hotze, figuras democratas texanas — Dallas Jones entre eles — supostamente estariam agindo em conluio com Christopher Hollins para a tal tarefa ilegal. Uma vez de posse dos votos de milhares de texanos, eles alterariam as cédulas para que estas fossem para o candidato Joe Biden.

Resposta de Christopher Hollins

Hollins foi chamado pela corte a responder às demandas de Hotze. Disse que os conservadores “lançaram acusações sem evidência alguma e de procedência duvidosa, vindas de investigadores privados que não divulgam quem são seus clientes ou fontes”.

Convidado a opinar no processo judicial, o procurador-geral do Texas afirmou que o governador republicano Greg Abbott publicou diretrizes que permitiram aos condados ampliar o período para votação antecipada, visando conter os riscos de contágio do novo coronavírus. A Suprema Corte estadual julgou improcedente os pedidos de Hotze em 7 de outubro, e a ação foi arquivada em 10 de novembro.

Homem sendo preso é ator acusado de assédio

A imagem que supostamente mostraria Jones sendo preso foi inicialmente postada no Twitter pelo perfil @DJcalligraphy. Menos de uma hora depois, ela disse que talvez o rapaz na imagem não fosse ele: “ATUALIZAÇÃO: Eu encontrei esta foto ao pesquisar por fotos do Dallas Jones, mas me disseram que esse talvez não seja ele. Se isso for verdade, peço desculpas.”

De fato, o homem na imagem não é Dallas Jones, mas sim o ator Cuba Gooding Jr. Ele foi preso em 13 de junho de 2019, acusado de assédio sexual em uma casa noturna de Nova York. A prisão foi filmada por um cinegrafista da agência Associated Press.

Detalhes semelhantes entre o boato (cima) e a imagem da Associated Press (baixo) permitem concluir se tratar da mesma situação. Foto: Reprodução

Em outro momento do vídeo, é possível ver um microfone do canal Fox News. É o mesmo que aparece desfocado em primeiro plano na imagem utilizada pela usuária do Twitter na postagem sobre a suposta prisão de Dallas Jones.

Comparação entre boato (cima) e imagens da prisão de Cuba Gooding Jr (baixo), feitas pela Associated Press. Foto: Reprodução

Este conteúdo também foi checado por Snopes e FactCheck.org.

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.